Série A

Internacional visita a Chapecoense de olho no G4

Time colorado tem muitos problemas para duelo fora de casa.
Gazeta Esportiva19/11/2015 às 09h51

CHAPECÓ - A luta do Internacional para entrar na zona de classificação para a Libertadores do ano que vem terá mais um capítulo nesta quinta-feira. Depois de derrotar a Ponte Preta no último dia 7, o Colorado terá uma parada dura: a Chapecoense, normalmente muito forte na Arena Condá, palco do confronto. Não bastassem as dificuldades naturais da partida, a equipe do técnico Argel Fucks tem muitos problemas de escalação para este jogo, válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A parada de 11 dias no Brasileirão serviu para o Inter readquirir fôlego para a reta decisiva, mas também foi bastante prejudicial a Argel. Afinal, ao invés de ganhar jogadores mais descansados, o treinador colorado acabou perdendo vários deles, por diferentes fatores. Os problemas estão em todos os setores da equipe, e forçam o técnico a escalar uma formação que jamais entrou em campo nesta temporada.

A primeira perda foi Eduardo Sasha, que passou por cirurgia no tornozelo no final de setembro, se recuperou, mas sofreu um inchaço no local e deve até perder o Gre-Nal de domingo. A seguir, os volantes Nilton e Wellington (titular e reserva da segunda função do meio) foram pegos no exame antidoping e não atuam mais em 2015. O mesmo vale para Valdívia, que passou por cirurgia no joelho esquerdo nesta segunda e só volta na metade de 2016. Para piorar, o meia Alex e o zagueiro Réver acusaram lesões musculares nesta quarta e estão fora da partida também.

Diante de tantos problemas, Argel optou pelo mistério no trabalho que definiu a equipe, na última terça. Há, porém, algumas tendências, indicadas por treinos anteriores. Sem chance de escalar Alex, a tendência é que Anderson jogue ao lado de D’Alessandro na criação. Valdívia dará lugar a Lisandro López no ataque. Já Nilton será substituído pelo uruguaio Nico Freitas, que há bastante tempo não atuava pelo Colorado.

Ao menos um desfalque a equipe não deve ter: o goleiro Alisson, que, mesmo tendo atuado terça, pelo Brasil, nas eliminatórias, se colocou à disposição para atuar em Chapecó: “estou à disposição do Argel. Viajo nesta quarta para Chapecó e estou pronto para jogar”, afirmou o arqueiro, ainda em Salvador, após a vitória por 3 a 0 sobre o Peru. Caso Argel opte por deixá-lo de fora, Muriel será o titular nesta quinta.

Se o Inter está a um ponto do G4, a Chapecoense, embora esteja tranquila, ainda busca assegurar de vez sua permanência na Série A. Com 43 pontos, e em 14º lugar, os catarinenses estão nove à frente do Goiás, atual 17º colocado. A equipe vem com moral elevado, após bater o Fluminense, no Maracanã, por 3 a 2. Uma nova vitória pode aproximar a Chape do pelotão intermediário, colocando-a próxima a clubes como Palmeiras, Flamengo e Atlético-PR.

O último confronto entre os dois clubes em Chapecó foi histórico: vitória catarinense por 5 a 0, no Brasileirão do ano passado. Para o volante Bruno Silva, presente naquele massacre, o resultado é parte do passado, mas pode influenciar a postura dos dois times agora: “aquela goleada foi inesquecível. Fico feliz de ter feito parte dela. Porém, deixamos isso no passado. O próximo jogo será completamente diferente, até porque os elencos dos dois times mudaram muito. Pelo que aconteceu em 2014, acho que o Internacional virá com uma postura de muito respeito a nós”, afirmou.

Bruno Silva será titular nesta quinta, já que Gil estará suspenso. A principal dúvida da Chape é o atacante Túlio de Melo, com dores musculares. A tendência é que Bruno Rangel o substitua. No gol, Danilo dará lugar ao veterano Nivaldo, de 41 anos.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.