Campeonato Brasileiro

De virada, São Paulo derrota Atlético-MG e entra no G4

O Tricolor Paulista ultrapassou o Santos e assumiu o quarto lugar do Brasileirão.
Gazeta Esportiva19/11/2015 às 23h10

SÃO PAULO - O São Paulo mostrou um poder de reação pouco visto neste ano para superar o vice-líder Atlético-MG nesta quinta-feira, no estádio do Morumbi, em triunfo que deixou tanto corintianos quanto são-paulinos felizes. Os tricolores pelo mais óbvio dos motivos, uma vitória por 4 a 2, de virada, que ainda por cima recolocou o time no G4. Os corintianos por algo além do resultado: com os gols de Alan Kardec, duas vezes, Michel Bastos e Luis Fabiano, a taça do Brasileiro foi assegurada.

Com o triunfo, os comandados de Milton Cruz, que teve muito mérito ao colocar Rogério e Alan Kardec, dois principais atletas no embate ao lado de Michel Bastos, chegam a 56 pontos conquistados, superando o Santos, com 55, e entrando na zona de classificação à Libertadores. O Galo, que marcou com Luan e Dátolo, estaciona nos 65 pontos e briga apenas para manter a segunda colocação do torneio.

Na próxima rodada, o Tricolor terá de encarar justamente o clássico contra o Corinthians, em Itaquera, às 17h do domingo, fechando a sequência ante os líderes da competição. Os comandados de Levir Culpi, por sua vez,recebem o Goiás no Independência, no mesmo horário.

Os primeiros dez minutos de jogo transcorreram sem grandes oportunidades de ambos os lados. Pilhados pela importância da partida e a chuva, que aumentou o volume da torcida, os dois times mostraram bastante ansiedade, principalmente na hora de dar o chamado último passe, aquele que deixa o jogador na cara do gol. Com ambos marcando bastante a saída de bola e recuperando a bola no ataque, a situação se repetiu pelo menos três vezes, sempre com vantagem da defesa.

Mais entrosado e melhor tecnicamente, o Galo conseguiu dominar as ações depois da breve pressão tricolor no início da partida, principalmente com as investidas pelo lado direito de Luan e Marcos Rocha. Faltou, porém, finalizar melhor as chances criadas. Na mais clara delas, Douglas Santos aproveitou boa jogada do setor mais efetivo dos mineiros e, com a desarrumação da defesa, conseguiu receber livre pela esquerda. Como a bola caiu no pé direito, no entanto, ele acabou chutando muito mal, por cima do gol.

O Tricolor, por sua vez, mostrou um distanciamento muito grande entre linha de defesa e a de ataque, praticamente resumida ao trio Ganso, Pato e Luis Fabiano. Michel Bastos e Thiago Mendes, nomes responsáveis pela transição, apareceram pouco e tiveram de apenas assistir às bolas longas sendo lançadas para que os avantes tentassem a sorte.

Assim que o segundo tempo começou, os visitantes passaram a dominar as ações. Contando com o pouco ânimo da torcida, que passou a chiar a cada passe errado dos donos casa, o vice-líder se sentiu à vontade no gramado do Morumbi. E foi assim, tranquilo, que conseguiu abrir o placar: o zagueiro Tiago avançou até a intermediária ofensiva e achou Luan, cara a cara com Denis. O talismã atleticano enganou Rodrigo Caio com sua movimentação e tocou livre, sem chances para o arqueiro são-paulino.

Descontente com a produção do time, Milton Cruz tentou dar um gás maior na frente com as entradas de Rogério e Alan Kardec, nos lugares de Pato e Hudson, respectivamente. Um esquema semelhante ao utilizado por Juan Carlos Osorio no clube, justamente no dia em que o colombiano compareceu ao Morumbi para rever os ex-comandados.

Talvez decepcionado pelo fraco futebol apresentado, Osorio ao menos pôde ver um lampejo de Michel Bastos, um de seus jogadores favoritos. O meia limpou meio time e serbviu Luis Fabiano. Victor abafou bem o lance, mas a bola ficou limpa para Alan Kardec, que pegou de primeira e mandou para a rede atleticana, fazendo a festa da torcida.

A euforia não durou muito, pois dois minutos depois, aos 25, Thiago Ribeiro recebeu livre pela direita, teve impedimento ignorado pela arbitragem e mostrou qualidade. Dentro da área, deixou Rodrigo Caio e rolou para Dátolo completar, mantendo o Galo na briga pelo título. O concorrente à taça, porém, não imaginava que Michel Bastos estaria tão inspirado: aos 30, ele dominou bola na intermediária, ajeitando com o lado do pé esquerdo sem deixar cair e acertando o canto de Victor, que nem se mexeu.

O gol reacendeu a esperança tricolor de chegar à Libertadores, que contou com o apoio da torcida nessa empreitada. Além disso, o dedo de Milton Cruz voltou a se mostrar eficiente: Rogério recebeu pela esquerda e conseguiu lindo cruzamento para Kardec, que testou para o fundo do gol, enterrando as esperanças de título atleticano. Ainda deu tempo de Rogério sofrer pênalti e Luis Fabiano assegurar a taça corintiana e, mais importante do que isso para os são-paulinos, colocar o time no G4 do Brasileiro.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.