Copa do Brasil

São Paulo passa pelo Vasco e encaminha classificação

O Tricolor está a um passo de confirmar presença nas semifinais da Copa do Brasil.
Gazeta Esportiva24/09/2015 às 00h02

SÃO PAULO - O São Paulo não correu riscos nesta quarta-feira e encaminhou a classificação à semifinal da Copa do Brasil com uma vitória por 3 a 0 sobre o Vasco, no estádio do Morumbi. Vista pelo técnico Juan Carlos Osorio como prioridade para a equipe, a disputa do torneio eliminatório configura a única chance real de título para o Tricolor no restante da temporada. Por conta da importância do duelo contra os cariocas, Osorio abriu mão do rodízio de jogadores que implantou no Campeonato Brasileiro e escalou todos os titulares que tinha à disposição

Com força máxima, o Tricolor não encontrou nenhuma dificuldade para dominar o frágil time do Vasco. Sem expor Rogério Ceni aos adversários, o time marcou duas vezes com Alexandre Pato, no primeiro tempo, e consolidou o placar com Luis Fabiano, aos 30 da etapa complementar. Pato, inclusive, entrou para a história com o tento que inaugurou o placar da partida. Esse foi o gol de número 3.000 do São Paulo no Morumbi.

O segundo confronto entre as equipes está marcado para a próxima quarta-feira, no Rio de Janeiro. Antes, porém, os times voltam a atenção para o Campeonato Brasileiro. O São Paulo tentará roubar do rival Palmeiras a quarta vaga no G4 da competição, em clássico marcado para o domingo, no Morumbi. Já o Vasco, que corre sérios riscos de rebaixamento, medirá forças com o Flamengo, também no domingo, no Maracanã.

Armado por Jorginho com três volantes, o Vasco veio ao Morumbi disposto a fazer o possível para não levar gols. Mas a retranca só se mostrou útil ao proteger o goleiro Martin Silva na primeira investida do São Paulo. Aos 11 minutos, os zagueiros cruz-maltinos se postaram na frente de Alexandre Pato e Luis Fabiano para impedir que três finalizações ameaçassem a meta do uruguaio. Na sobra, Ganso tentou por cobertura e mandou nas mãos de Silva.

Ganso voltou a ameaçar aos 18 minutos, em chute de fora da área defendido pelo goleiro. Já aos 26 não houve o que Martin Silva pudesse fazer para segurar a bomba que Pato mandou de muito longe. O chute entrou no ângulo da meta vascaína e garantiu ao atacante um lugar de destaque na história são-paulina. Com a pintura, Pato anotou o gol de número 3.000 do Tricolor na história do Morumbi.

O Vasco tentou responder com um chute para fora do volante Rafael Vaz, aos 29 minutos, mas deixou transparecer todas as suas fragilidades na sequência do primeiro tempo. Aos 36, Ganso desmontou a defesa vascaína com belo passe enfiado para Luis Fabiano. Ao evitar a finalização nos pés do atacante, Martin Silva deixou a bola viva dentro da área e permitiu que Pato ampliasse a vantagem com um chute quase sem ângulo.

No lance seguinte ao gol, Luis Fabiano aproveitou saída de bola errada da defesa do Vasco e deixou Michel Bastos na cara do gol. O jogador não aproveitou a oportunidade e finalizou em cima do goleiro. Na volta do intervalo, aos 5 minutos, o Fabuloso aplicou belo drible no zagueiro Luan, dentro da área, e por muito pouco não deixou sua marca. O Vasco, acuado em campo, só chegou perto de Rogério Ceni nos erros dos próprios são-paulinos. Aos 8, Rodrigo Caio furou ao tentar cortar cruzamento e Bruno Gallo quase descontou para o Cruz-Maltino.

Com a vantagem assegurada, o São Paulo economizou na correria e se poupou visando ao clássico de domingo. Aos 21 minutos, Michel Bastos tentou de fora da área, mas Martin Silva espalmou. Logo após o lance, Pato pediu para ser substituído e deixou o campo muito aplaudido pela torcida. Wilder, que entrou no lugar do atleta, foi o responsável por construir a jogada pela direita que culminou no terceiro gol tricolor. Aos 30, Luis Fabiano recebeu o cruzamento do colombiano e concluiu para o fundo das redes. O Fabuloso, no entanto, sofreu uma pancada nas costelas e precisou deixar o Morumbi de ambulância para fazer exames.

Com dez em campo, o São Paulo deu espaços para o Vasco. Aos 38 minutos, Julio dos Santos aproveitou cruzamento de Nenê e cabeceou para grande defesa de Rogério Ceni. Os cariocas até tentaram esboçar algum tipo de pressão, mas não houve tempo nem qualidade para se aproximar novamente da meta tricolor.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.