Campeonato Paulista

Nos pênaltis, Palmeiras bate o Corinthians e elimina rival

Fernando Prass brilhou nas penalidades e classificou o Verdão para a final.
Gazeta Esportiva19/04/2015 às 18h36

SÃO PAULO - O Corinthians não perdia em Itaquera havia quase um ano. Na temporada, só fora derrotado em um amistoso. Diante do arquirrival, não tinha um resultado negativo fazia nove partidas. Tudo isso acabou na tarde de domingo, em Itaquera, onde o Palmeiras venceu por 6 a 5, nos pênaltis, após empate por 2 a 2, e avançou à decisão do Campeonato Paulista.

As invencibilidades podem até ter sido tecnicamente mantidas com o empate ao longo dos 90 minutos, mas o que ficou do Derby foi a alegria verde e a primeira grande dor alvinegra em sua nova morada na zona leste de São Paulo. Toda a pompa – que fez até Tite priorizar a Copa Libertadores, deixando Elias e Renato Augusto no banco – foi quebrada.

O Palmeiras, humilde, aproveitou a habitual falha alvinegra pelo alto, e abriu o placar com Victor Ramos. Danilo, de cabeça, e Mendoza, de fora da área, viraram ainda no primeiro tempo. No segundo, os visitantes correram riscos em busca do empate e o alcançaram, em cabeceio de Rafael Marques.

Assim, como na semifinal que recebeu entre Argentina e Holanda na Copa do Mundo, o estádio de Itaquera abrigou mais uma disputa por pênaltis. O Corinthians saiu na frente com o erro de Robinho e teve nos pés de Elias a bola da classificação. Fernando Prass defendeu e pegou também a batida de Petros, decidindo o confronto.

Virada alvinegra, empate e alegria alviverde nos pênaltis


A partida começou em um clima estranho, com boa parte dos torcedores do Corinthians calados e sentados em reação à chacina na quadra da organizada Pavilhão 9. Dentro das quatro linhas, o Palmeiras tentava surpreender o rival com Valdivia na função de falso centroavante.

A primeira chance foi alvinegra, em cima do improvisado lateral Wellington, mas Mendoza foi travado. Os visitantes tentavam se aproximar com Dudu pela esquerda e com Rafael Marques pela direita, onde surgiu escanteio. Problemático pelo alto, o time alvinegro falhou, e viu Victor Ramos aproveitar a sobra, aos 13 minutos.

A essa altura já com a Fiel de pé, o Corinthians tentava reagir, tendo a velocidade de Mendoza como arma. Love chegou a conseguir um giro perigoso, porém houve alguma dificuldade até o próprio Love sofrer falta na intermediária, pela direita. Jadson bateu bem, Danilo cabeceou muito bem, aos 33, empatando o jogo.

O estádio explodiu, manteve o time no ataque e voltou a comemorar aos 44, quando Mendoza se viu livre após disputa no meio. Ele avançou pela esquerda e bateu de fora, com força, no canto esquerdo de Prass. O que fez Oswaldo apostar na criação de Cleiton Xavier no intervalo, recuando Robinho.

Após alguns minutos de estudo na etapa final, o Palmeiras passou a atacar mais agressivamente, abrindo espaço para os contra-ataque. O jogo tomou um ritmo forte, com chances para os dois lados. Dudu acertou a trave de um. Do outro, Mendoza e Renato Augusto vacilaram para finalizar, e Love parou em ótima defesa de Prass.

Aos 24, Oswaldo acionou Gabriel Jesus e Kelvin, nos lugares de Valdivia e Wellington, para ir de vez para cima. Tite, que colocara Renato pouco antes, respondeu com Elias na vaga de Love, mas o rival foi mais feliz. Após cruzamento da esquerda de Dudu, aos 29, Rafael Marques apareceu livre para cabecear no segundo pau e empatar.

Petros foi o último a ser acionado por Tite, o que acabaria por ser decisivo na definição do finalista. Os dois times tiveram alguma cautela nos minutos finais do tempo normal, com o Palmeiras claramente satisfeito com o empate, gastando o tempo até a disputa por pênaltis.

As batidas foram feitas no gol do setor sul, onde havia torcedores dos dois times, e começaram mal para o Palmeiras, com o chute de Robinho por cima. O Corinthians se manteve em vantagem com os chutes de Fábio Santos, Renato Augusto, Fagner e Ralf, com Rafael Marques, Victor Ramos, Cleiton Xavier e Dudu mantendo os visitantes vivos.

Basta Elias converter seu tiro para que a série fosse fechada, mas Prass caiu no canto direito e defendeu. Na sequência, Kelvin, Gil e Jackson balançaram a rede. Então, Petros pegou a bola e arrematou no canto esquerdo de Prass. O goleiro foi muito bem para colocar a equipe alviverde na decisão.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.