Campeonato Paulista

Embalado pela torcida, Palmeiras vence Capivariano

Com 32 mil pagantes no Allianz Parque, o Verdão não teve dificuldades.
Gazeta Esportiva28/02/2015 às 21h02

SÃO PAULO - O Palestra Itália recebeu seu maior público no ano para ver a estreia de Arouca neste sábado, mas o herói foi um reforço que chegou sem badalação e encontrou espaço no time. No fim do jogo, Robinho abriu o placar em cobrança de falta perfeita e ampliou mais tarde para garantir a vitória por 2 a 0 sobre o Capivariano, que mantém a tranquilidade do Palmeiras no Campeonato Paulista.

O meia vindo do Coritiba gerou a alegria para os 32.134 pagantes que estiveram no estádio alviverde e superaram os 28.869 que pagaram ingresso na derrota para o Corinthians, no último dia 8. Os números ainda não superam os 35.939 torcedores presentes na reabertura da arena, em 19 de novembro do ano passado, quando o Sport venceu por 2 a 0.

Neste sábado, Cristaldo acertou a trave duas vezes, uma em cada tempo, mas sobrou vontade e faltou precisão e confiança para o Verdão finalizar. Até que uma falta sofrida pelo centroavante argentino foi cobrada com perfeição por Robinho no ângulo do goleiro adversário, aos 35 do segundo tempo. Aos 43, o meia ainda fez mais um.

Isolado na liderança do grupo C do Estadual, o Verdão atinge 15 pontos e volta a jogar pelo torneio no próximo sábado, às 18h30 (de Brasília), diante do Bragantino, novamente em casa. Antes, o time estreia na Copa do Brasil às 22 horas de quarta-feira, visitando o Vitória da Conquista, na Bahia. Já o Capivariano, vice-líder do grupo D com seis pontos, encara o Linense fora de casa, às 21 horas do próximo sábado.

O Palmeiras entrou em campo disposto a abrir logo o placar. Como programa Oswaldo de Oliveira, o esquema não mudou mesmo com a entrada de Arouca, que apenas adiantou Robinho para a linha de três que deve auxiliar Cristaldo. Mas a principal característica positiva neste sábado foi o ímpeto.

Logo na saída de bola, o Palmeiras foi à frente e, com menos de um minuto, Allione abriu espaço pela direita até chutar. O zagueiro Marllon salvou quase em cima da linha e o goleiro Douglas espantou o perigo. Antes dos três minutos, Zé Roberto desceu pela esquerda e cruzou para Cristaldo girar e acertar a trave.

Não havia dúvidas no estádio de que o gol sairia rapidamente, e pelas laterais. Allione, que ficava pela direita, e Dudu, pela esquerda, centralizavam para que Robinho pudesse acionar Zé Roberto e, principalmente, Lucas. Arouca e Gabriel se revezavam na chegada à frente, mas o time estava tão empolgado que dificultava para o estreante volante se ajustar em campo.

Complicou para o Verdão o ímpeto do Capivariano em se ajustar. Após Cristaldo bater na trave, os jogadores da equipe de Capivari passaram a trocar gritos e broncas para se acertar. Apesar do cenário parecer ruim, foi o suficiente para o time encaixar a marcação fazendo o simples, povoando a entrada da área, e bloqueando os espaços do Palmeiras.

Com a defesa adversária restrita, chamou atenção a confusão de Allione sempre que tentou carregar a bola e a dificuldade de Dudu em ser mais participativo. Ao longo do primeiro tempo, os jogadores do setor ofensivo alternaram posição e Robinho, o jogador mais útil com a bola no pé, ficou menos acessível pela esquerda.

Sem tantos ataques dos anfitriões, o árbitro Norberto Luciano Santos da Silveira e os assistentes Risser Jarussi Corrêa e Rafael Gomes Felix da Silva puderam aparecer negativamente, com marcações confusas. O Capivariano, mesmo sem qualidade para concluir jogadas de ataque, ainda levou perigo em cabeça do zagueiro Hélio aos 39 minutos do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Oswaldo melhorou o posicionamento ofensivo ao trocar o confuso Allione por Rafael Marques. Para melhorar, Dudu passou a participar mais do jogo. O resultado foi outra bola na trave de Cristaldo, concluindo troca de passes dentro da área aos quatro minutos. Mas o Capivariano já tinha encontrado a forma de ficar na defesa, forçando os donos da casa a tocar a bola sem confiança para finalizar.

Aos 19 minutos, Arouca, que mostrava vitalidade para evitar os contra-ataques adversários e pouco subia, encerrou sua estreia dando lugar a Alan Patrick. Mesmo com um armador a mais e presença maior no setor ofensivo, o Verdão não chutava, rodando a bola, facilitando a vida do adversário e irritando a torcida na mesma medida que a arbitragem, teimosa em marcar faltas inexistentes dos dois lados.

Menos de oito minutos depois de entrar, Alan Patrick reclamou de dores e Oswaldo reajustou o meio-campo optando por Victor Luis na lateral esquerda e adiantando Zé Roberto. Mas o salvador foi quem já era meia desde o início do jogo. Cristaldo, que já tinha reclamado de pênalti pouco antes, sofreu falta na entrada da área e Robinho cobrou com perfeição para balançar as redes aos 35 minutos do segundo tempo.

Quando a vitória já estava garantida, diante da falta de qualidade e condição física do Capivariano em mudar o placar, uma jogada construída com todo o setor ofensivo se tornou passe de Dudu para Robinho se confirmar como o herói da noite, fechando o placar aos 43 minutos do segundo tempo.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.