Briga de facções

Homem é condenado a 15 anos de prisão por homicídio em Cururupu

Maldine dos Santos Coelho estava sendo acusado de prática de crime de homicídio que teve como vítima Nataniel Pinto.
Divulgação/CGJ-MA16/07/2021 às 18h32
Homem é condenado a 15 anos de prisão por homicídio em Cururupu O conselho de sentença decidiu que o réu foi culpado e a pena imposta a ele foi de 15 anos de prisão, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. (Foto: Divulgação)

CURURUPU - O Poder Judiciário de Cururupu realizou nesta quarta-feira, dia 14, mais uma sessão do Tribunal do Júri, presidida pelo juiz titular Azarias Cavalcante. No banco dos réus, Maldine dos Santos Coelho. Ele estava sendo acusado de prática de crime de homicídio que teve como vítima Nataniel Pinto. O conselho de sentença decidiu que o réu foi culpado e a pena imposta a ele foi de 15 anos de prisão, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado.

Narra a denúncia do caso que, na data de 11 de julho do ano passado, Maldine dos Santos, na companhia de Lucas Gabriel Picanço, tirou a vida de Nataniel Pinto. Segue relatando que os dois homens souberam por terceiros que a vítima estava trabalhando no cemitério municipal, em Cururupu. Ato contínuo, eles foram ao encontro de Nataniel e, de pronto, efetuaram vários disparos de revólver, atingindo a cabeça e o peito da vítima, causando morte instantânea.

Conforme apurou o inquérito policial, os dois homens tinham uma rixa com Nataniel, por pertencerem a facções criminosas rivais. Foi apurado, ainda, que a vítima já havia ameaçado Maldine de morte. Além do juiz, participaram da sessão o promotor Igor Adriano Trinta Marques, na acusação e, na defesa de Maldine dos Santos Coelho, atuou a defensora pública Melissa Rebelo.

Este foi o segundo júri realizado na comarca nesta semana. O primeiro foi na terça-feira, dia 13, que apresentou como réu o homem Jubenil Azevedo Rodrigues. Ele estava sendo julgado sob acusação de crime de tentativa de homicídio, que teve como vítima Welton Jacó Lima Reis. Durante a sessão, o conselho de sentença reconheceu a materialidade e a autoria, porém desclassificou o crime para lesão corporal grave.

Estas foram as primeiras sessões do Tribunal do Júri presididas pelo juiz Azarias Cavalcante como titular de Cururupu, que assumiu em maio deste ano. Foram também as primeiras sessões do promotor de Justiça Hihor Adriano na comarca.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.