Cururupu

Cururupu: população destrói delegacia e carcereiro é baleado

Mais de 500 pessoas tentaram linchar um preso suspeito de matar um lavrador.
Imirante 27/08/2009 às 17h39

SÃO LUÍS - Mais de quinhentas pessoas invadiram a delegacia do município de Cururupu, que fica a 451 quilômetros de São Luís, para linchar um homem preso no fim da manhã dessa quinta-feira (27). Carlos Coelho Fonseca, de 36 anos é suspeito de ter assassinado o lavrador José Mariano Franco Monteiro, de 50 anos. Durante o confronto, o carcereiro da delegacia foi atingido por um tiro.

Durante mais de trinta minutos houve confronto entre os manifestantes e a polícia. A população apedrejou a delegacia. Para conter a ira dos moradores, a delegada teve que pedir reforço para municípios próximos a Cururupu. As viaturas da polícia de Pinheiro que foram para o local ficaram parcialmente destruídas. O Grupo Tático Aéreo (GTA), também foi deslocado para ajudar a conter a população. Para evitar que o preso fosse linchado, a polícia teve que usar bombas de gás e vários disparos para cima foram efetuados. Os vinte e cinco presos que estavam detidos na delegacia do município aproveitaram a confusão para fugir. Com o objetivo de tentar recapturar os fugitivos, a polícia mandou mais reforços para o local. A polícia conseguiu transferir o preso Carlos Coelho, que iria ser lichado pela população, para a Capital.

Cinquenta policiais já se deslocaram para Cururupu na manhã desta sexta-feira (28). Cinco detentos do município já foram recapturados. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os policiais vão fazer um balanço mais detalhado dos estragos e divulgá-lo ainda hoje.

Crime

De acordo com a polícia, o lavrador José Mariano Monteiro saia de casa para caçar, por volta das cinco horas da manhã, quando avistou Carlos Fonseca que estaria roubando galinhas em um quintal de uma casa. O lavrador teria alertado o suspeito, que com raiva, deu um tiro de espingarda acertando a vítima no peito esquerdo. José Mariano Monteiro morreu na hora.

Prisão

Carlos Coelho Fonseca foi preso no fim da manhã desta quinta. Para prender o suspeito, a família da vítima teve que abastecer a viatura da polícia que estava sem combustível. De acordo com a população em vinte dias, oito pessoas foram assassinadas em Cururupu.

Matéria atualizada às 10h23 - 28/08/2009.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.