Morte de sargento da PM

“Ele se movia pela missão de proteger a sociedade”, afirma 16º BPM em nota de pesar

Um PM morreu nesta terça, em Chapadinha, após tentar prender assaltantes.
Imirante.com14/03/2017 às 16h00

CHAPADINHA – Na tarde desta terça-feira (14), o 16º Batalhão da Polícia Militar do Maranhão (BPM-MA) divulgou nota de pesar pela morte do sargento Ozienne Silva Queiroz, 34 anos, que morreu nesta terça, na cidade de Chapadinha, após tentar prender dois assaltantes.

Saiba mais sobre o caso: Sargento da PM morre durante perseguição policial

Segundo a nota do 16º BPM, o sargento Queiroz estava há quase 10 anos na corporação e tinha um “comportamento excepcional”. O PM era comandante da Equipe Águia e, atualmente, encontrava-se lotado no 16º Batalhão em Chapadinha. Ainda de acordo com a nota, o policial militar deixa “um legado de bons serviços prestados à Polícia Militar e a sociedade chapadinhense, homem honrado, destemido, e acima de tudo amava ser policial militar”.

Veja a nota na íntegra:

NOTA DE PESAR DO 16º BATALHÃO PELA MORTE DO 3º SGT QUEIROZ

O comando do 16º Batalhão da Polícia Militar do Maranhão juntamente com seu corpo de Oficiais e Praças, lamenta a morte do 3º Sargento Ozienne Silva Queiroz, ocorrida hoje (14/03/2017), o Policial Militar foi vítima de disparo de arma de fogo.

O sargento Queiroz tinha 34 anos, e ingressou nas fileiras da Polícia Militar em 18 de junho de 2007, estava na corporação há 09 anos, detentor de comportamento excepcional, comandante da Equipe Águia e atualmente encontrava-se lotado no 16º Batalhão em Chapadinha. O policial Militar deixa um legado de bons serviços prestados à Polícia Militar e a sociedade Chapadinhense, homem honrado, destemido, e acima de tudo amava ser Policial Militar.

Sargento Queiroz é exemplo de Pai, Marido, Filho, Irmão, amigo, um ser humano dotado de bondade e de amor ao próximo, seu legado ecoara na vida de todos aqueles que tiverem o prazer de seu convívio.

Toda morte é lamentável, mas quando ela atinge de maneira bárbara um agente da segurança pública é como se todos nós fôssemos um pouco atingidos também. O Policial Militar Ozienne Queiroz não estava de serviço, mas se movia pela missão de proteger a sociedade quando foi assassinado.

Que seja feita a vontade de DEUS. Reconfortemo-nos nisso e nas lembranças do saudoso Sargento Queiroz, sempre disposto, alegre e vibrante em qualquer momento e em qualquer chamado.

"Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós".

Ten. Cel Glauber Miranda Silva - Comandante do 16º Batalhão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.