Entrevista à rádio Mirante AM

Assaltante tentou se matar durante sequestro em Chapadinha, diz coronel

PM conta como conseguiu negociar o fim do sequestro em Chapadinha.
Imirante.com17/10/2016 às 19h14

CHAPADINHA - Em entrevista à rádio Mirante AM, o coronel Vaz da Polícia Militar, que negociou o fim do sequestro de três idosas na cidade de Chapadinha nesta segunda-feira (17), falou sobre as horas de terror que a cidade passou e sobre como conseguiu obter um acordo com os criminosos, evitando uma tragédia maior.

Entenda o caso:

Bandidos mantêm idosas reféns na cidade de Chapadinha

Bandidos libertam reféns e se entregam à polícia

“Sempre que envolve vidas é mais difícil, ainda mais quando você vê três pessoas idosas que não tinham nenhuma chance de defesa contra eles. E, em uma situação dessas, sempre há momentos de tensão. Houve momentos em que um deles (assaltantes) tentou se matar e uma das senhoras impediu”, revelou o coronel Vaz, que foi de São Luís para Chapadinha negociar o fim do sequestro.

O PM disse, ainda, que houve momentos em que a negociação parecia certa, mas os criminosos voltavam atrás. Por isso, o sequestro demorou mais de 8h para acabar.

“O momento mais difícil é justamente quando eles se estão se rendendo, você vê que eles vão e voltam, ficam na incerteza, pois não sabem se podem ser mortos. Eles têm o receio de que a polícia faça uma ‘covardia’, que é o termo que eles usam”, relatou Vaz.

O coronel ressaltou, ainda, o apoio de toda a equipe de Segurança Púbica que esteve no local e colaborou com a solução do caso.

Ouça a entrevista que o coronel Vaz deu para o repórter Luís Carlos da Mirante AM, em Chapadinha, contando como foi a negociação com os sequestradores.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.