Hospital Universitário de Caxias está abandonado

O Estado do Maranhão 15/10/2006 às 15h25

CAXIAS - O prédio onde deveria funcionar o Hospital Universitário de Caxias, coordenado pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema), é atualmente um dos exemplos de desperdício de dinheiro público no interior. Adquirido pelo Governo do Estado por mais de R$ 4 milhões, há mais de três anos, o imóvel deveria servir como uma unidade macro de saúde, atendendo casos de média e alta complexidade, entretanto, no local, o que se vê é exatamente o contrário. A situação do prédio é de total abandono e depredação.

Vendido para o Governo do Estado de portas fechadas, pelo seu antigo proprietário, Humberto Coutinho (atual prefeito de Caxias), na época deputado estadual da base governista, os equipamentos, macas e móveis estão danificados.

Um orçamento feito pela Uema constata que somente para recuperar a estrutura do prédio e mobiliá-lo, deixando-o em plenas condições de funcionamento, será necessário um investimento de aproximadamente R$ 2 milhões, praticamente a metade do que foi pago na compra do prédio.

Como o mandato do atual gestor estadual já está no seu término, o compromisso para pôr em funcionamento a unidade de saúde, que poderia estar beneficiando uma população de mais de 200 mil habitantes de toda a região leste, ficará a cargo do novo governo maranhense.

Projetos para a captação de recursos não faltam. Até mesmo no Ministério da Educação e Saúde já foram pleiteados os valores para a recuperação do prédio. Emendas parlamentares também foram solicitadas, mas, até o momento, não há recursos em caixa para a recuperação do hospital, que, quando foi comprado, estava em pleno funcionamento, realizando além de atendimentos ambulatoriais, internações, cirurgias e partos.

Uma das alternativas apontadas pela UEMA é a reforma do hospital em etapas, recuperando inicialmente apenas o serviço ambulatorial. O que falta para colocar a iniciativa em prática são os recursos financeiros, que ainda não estão à disposição para o início das obras.

O Hospital Universitário de Caxias foi adquirido para atender também os estudantes dos cursos da área de saúde mantidos pelo Centro de Ensino Superior de Caxias (Cesc/Uema) Enfermagem e Medicina. A coordenadora do curso de Medicina do Centro de Ensino Superior de Caxias, Rose Marie Jácome, afirma que o não funcionamento do hospital não chega a prejudicar o prosseguimento do curso, mas seria um local importante para a aprendizagem dos universitários.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.