Doutor Bumbum

Médico preso no Rio trabalhou 16 dias no Palácio do Planalto, em 2008

Denis Furtado era oficial médico temporário do Exército, 2º tenente, e foi cedido pelo Hospital das Forças Armadas (HFA) ao Planalto.
Imirante.com25/07/2018 às 17h20
Médico preso no Rio trabalhou 16 dias no Palácio do Planalto, em 2008O médico Denis César Barros Furtado teve a prisão temporária decretada no dia 17 de julho e foi preso dois dias depois, junto com sua mãe. (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA - O médico Denis César Barros Furtado, de 45 anos, conhecido como Doutor Bumbum, trabalhou no Palácio do Planalto por 16 dias no ano de 2008. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria-Geral da Presidência da República, Furtado era oficial médico temporário do Exército, 2º tenente, e foi cedido pelo Hospital das Forças Armadas (HFA) ao Planalto no período de 18/09 a 3/10/2008.

De acordo com a assessoria, ele passou esses 16 dias atendendo na Clínica Geral da Presidência. Além disso, ele nunca fez parte do quadro de funcionários da Presidência da República, não participou de eventos oficiais, viagens presidenciais ou atendimento de autoridades.

Denis Furtado ficou conhecido por realizar uma cirurgia estética na paciente Lilian Calixto, que morreu em seguida. O procedimento estético havia sido realizado no apartamento do médico, na zona oeste do Rio.

Ele teve a prisão temporária decretada no dia 17 de julho e foi preso dois dias depois, junto com sua mãe.

A prisão temporária foi pedida pelos crimes de homicídio doloso duplamente qualificado e associação criminosa. Se for condenado, o médico poderá pegar até 36 anos de prisão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.