Fiscalização

FGTS: Inspeção do Trabalho recupera mais de R$ 40 milhões no Maranhão

No Brasil, o Ministério do Trabalho recuperou um total de R$ 4,2 bilhões.
Divulgação/Ministério do Trabalho21/02/2018 às 15h14
O volume de dinheiro recuperado em 2017 foi 35,4% maior do que em 2016. / Foto: Divulgação.

BRASÍLIA - O Ministério do Trabalho recuperou R$ 42.264.517,07 para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2017, no Maranhão. A recuperação se deu por meio de ações de fiscalização em empresas que deixaram de depositar o dinheiro nas contas vinculadas dos seus trabalhadores.

Leia também:

Empresas devedoras do FGTS já podem parcelar débitos

Caixa libera mais de R$ 8,7 bilhões para o crédito imobiliário

Mais de 37% dos trabalhadores pagaram dívidas com FGTS

No Brasil, o Ministério recuperou um total de R$ 4,2 bilhões. As maiores arrecadações foram feitas nos Estados de São Paulo (R$ 692 milhões), Rio de Janeiro (R$ 485 milhões), Minas Gerais (R$ 199 milhões) e Rio Grande do Sul (R$ 192 milhões).

O volume de dinheiro recuperado em 2017 foi 35,4% maior do que em 2016, quando foram arrecadados R$ 3,1 bilhões pela Inspeção do Trabalho. Em 2015, o valor foi de R$ 2,2 bilhões.

Ao todo, 50.596 estabelecimentos foram fiscalizados pela Auditoria-Fiscal do Trabalho, que emitiu 19.497 notificações de débito. O maior número de autuações foi no setor do Comércio, que teve 5.348 notificações em 16.948 estabelecimentos fiscalizados. O segundo maior foi nas empresas da Indústria de Transformação, com 4.080 notificações entre 7.207 estabelecimentos fiscalizados.

Desde a instituição da fiscalização eletrônica, em 2014, o Ministério do Trabalho tem impulsionado seus resultados. A capacitação dos auditores para utilização de sistemas informatizados e para a padronização das ações tem agilizado os processos de fiscalização. Já o cruzamento das bases de dados governamentais com a base de depósitos efetuados nas contas vinculadas tem facilitado a identificação das empresas com irregularidades nos recolhimentos de FGTS.

“Os procedimentos eletrônicos detectam automaticamente os débitos e um comunicado estabelecendo prazo para regularização é enviado à empresa pelo auditor-fiscal do Trabalho responsável pela ação. Não havendo o recolhimento, é lavrada uma notificação de débito”, explica o diretor de Fiscalização do Ministério, João Paulo Ferreira Machado. “Além disso, investimos na fiscalização específica dos grandes devedores, uma prioridade para a Inspeção do Trabalho”, afirma.

A força-tarefa do Ministério voltada especificamente para a fiscalização do FGTS ainda conseguiu recuperar R$ 1.321.809.697.

Recolhimento do FGTS via fiscalização em 2017:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.