Microcefalia

Governo e Rede Sarah criarão centros especializados para crianças com microcefalia

Intenção é que centros ofereçam tratamento para crianças até 3 anos.
Imirante.com, com informações do Portal Brasil22/11/2016 às 15h30

BRASÍLIA - O governo federal e a Rede Sarah, referência internacional em reabilitação neuromotora, vão trabalhar juntos para a criação de dois centros de reabilitação para crianças com malformações causadas pelo zika vírus.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, e a embaixadora do Programa Criança Feliz, primeira-dama Marcela Temer, visitaram a unidade da Rede Sarah, localizada no Lago Norte, em Brasília, e puderam ver de perto como é o trabalho desenvolvido pelos profissionais com pacientes com limitações físicas e neurológicas e crianças com microcefalia.

O objetivo da visita foi estabelecer parceria para a criação de centros de acompanhamento de crianças com microcefalia em Campina Grande (PB) e Recife (PE). A intenção é que os centros ofereçam tratamento, acompanhamento e estimulação para crianças até 3 anos e suas famílias, além de possibilitar que as mães trabalhem enquanto os filhos são atendidos.

“Nós estamos montando um projeto de Centros-Dia de atendimento a essas crianças, em parceria com os ministérios da Educação e Saúde, onde elas possam ter atendimento de ponta, capacitado pelo Sarah. Essas crianças vão ter estimulação, acompanhamento de creche e acompanhamento na área social. Todos os recursos que o governo pode disponibilizar vão ser utilizados em lugares específicos, em pontos estratégicos onde ocorreu o maior número de casos de zika vírus”, garantiu o ministro.

Centros de atendimento

Na visita, a diretora da Rede Sarah, Lúcia Willadino Braga, colocou toda a experiência do hospital à disposição para a criação dos centros e capacitação dos profissionais.

"A Rede Sarah está totalmente à disposição com toda sua equipe para ajudar na montagem destes centros e na capacitação dos profissionais", afirmou.

A ideia é que os centros de atendimento complementem o Programa Criança Feliz, integrando ações dos ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, Educação e Saúde.

O programa, lançado em outubro pelo governo federal, irá dar atenção especial à primeira infância entre os beneficiários do Bolsa-Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC) e crianças em situação de vulnerabilidade social. As famílias contarão, por exemplo, com visitas domiciliares de orientação sobre iniciativas que contribuam para o desenvolvimento dos filhos.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.