Empresa da Bahia operava esquema de desvio, revela PF

G1 17/05/2007 às 11h32

SÃO PAULO - A Polícia Federal informou hoje que entre os presos da Operação Navalha estão diversas autoridades públicas, e funcionários da Empresa Gautama, sediada em Salvador (BA), "que operava uma organização criminosa infiltrada no Governo Federal, e em governos estaduais e municipais".

A PF informa ainda que a quadrilha desviou recursos do Ministério de Minas e Energia, da Integração Nacional, das Cidades, do Planejamento, e do DNIT. As fraudes também ocorreram nos Estados de Alagoas, Maranhão, Sergipe, Piauí e ainda no Distrito Federal. Nos municípios, desvios foram identificadas nas de cidades Camaçari (BA) e Sinop (MT).

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Navalha, para desarticular uma organização criminosa que, segundo a PF, desviava recursos públicos federais, com a obtenção de lucros sobre obras públicas. Cerca de 400 policiais federais estão mobilizados nos Estados de Alagoas, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Sergipe, Pernambuco, Piauí, Maranhão, São Paulo e no Distrito Federal. A ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, decretou 40 mandados de prisão preventiva e 84 mandados de busca e apreensão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.