Açailândia

Qualidade do ar em Açailândia é tema de reunião no judiciário

Junto com a Secretaria de Meio Ambiente, foram debatidas medidas para melhorar a qualidade do ar no município.
Imirante.com / com informações do MP-MA23/04/2018 às 15h03
Qualidade do ar em Açailândia é tema de reunião no judiciárioAçailândia fica distante a 562 km de São Luís. (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS - Em reunião realizada nesta segunda-feira, 23, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, o procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, e as promotoras de justiça Letícia Teresa Sales Freire e Samira Mercês dos Santos discutiram, com técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a questão da qualidade do ar em Açailândia.

Leia também:

Secretaria de Meio Ambiente inicia levantamento sobre lixo urbano

As promotoras de justiça defendem a ideia de que o Estado do Maranhão realize um inventário de qualidade do ar no município. Atualmente, as informações existentes são prestadas pelas próprias empresas do pólo siderúrgico existente no Piquiá de Baixo, em Açailândia, que são validados pela Sema.

De acordo com os técnicos da Sema, os estudos apresentados são feitos pelas empresas e medidos em suas próprias chaminés. Para as promotoras de justiça, no entanto, é necessária uma medição mais ampla, que contemple a qualidade do ar no bairro Piquiá de Baixo e em todo o município, considerando, inclusive, que essas empresas já atuam há décadas na região.

O procurador-geral de justiça ressaltou que os dados prestados pelas empresas precisam ser vistos com cuidado e que existe a necessidade de informações oficiais, obtidos pelos órgãos de controle ou por empresas contratadas por eles.

Durante a reunião, os representantes da Sema, Diego Lima Matos, Talissa Rabêlo Moraes e José Guilherme Braga Filho, se comprometeram a levar a demanda de realização do inventário de qualidade do ar para avaliação da Secretaria.

Também houve o compromisso de que a Sema encaminhará às promotoras de justiça os estudos mais atualizados a respeito da qualidade do ar na região, que já haviam sido solicitados pelo Ministério Público mas não disponibilizados até então.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.