Campanha de conscientização para doenças inflamatórias intestinais em SL - Imirante.com
Evento

Campanha de conscientização para doenças inflamatórias intestinais em SL

Para falar e esclarecer duvidas sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs), no próximo sábado (19), acontece um evento em São Luís.
Imirante.com, com informações da Assessoria17/05/2018 às 16h51

SÃO LUÍS - Diarreia frequente, dor abdominal e, em determinados casos, sangramento retal são alguns dos sintomas comuns às duas doenças inflamatórias intestinais, Crohn e Retocolite Ulcerativa, de caráter crônico e que podem levar seus pacientes, em idade produtiva, a hospitalizações recorrentes e à incapacitação para o trabalho, causando também grande impacto na qualidade de vida, social e psicológica. Pensando nisso o o Grupo de Apoio Pacientes de DII da Baixada Santista (GADDIIBS) realizará ações de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce das DIIs.

Para falar e esclarecer duvidas sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs), no próximo sábado (19), das 8h às 11h, médicos participam da ‘Campanha Maio Roxo’ com o “I Encontro de Pacientes com Doença Inflamatória Intestinal no Maranhão”. O evento será no auditório da Universidade CEUMA, no bairro do Renascença, e será aberto ao público.

As doenças inflamatórias intestinais, Crohn e Retocolite Ulcerativa, são sérias, têm caráter crônico e afetam homens e mulheres indistintamente. O diagnóstico acontece geralmente por volta dos 30 anos de idade, impactando negativamente a força de trabalho e a vida familiar do paciente. De origem não totalmente conhecida, sabe-se que pode haver predisposição genética e que o meio ambiente exerce papel importante em seu desencadeamento (sabe-se que é mais comum em centros urbanos e/ou industrializados).

Tanto na retocolite ulcerativa quanto na Doença de Crohn, os sintomas são semelhantes: dor abdominal, podendo haver hemorragia retal, diarreia, urgência para evacuar e aumento na frequência e dos movimentos intestinais. Estes sintomas tendem a aparecer e desaparecer e podem afetar o nível nutricional do paciente, pois a inflamação consome alguns nutrientes. Pode haver também perda fecal de sangue, fluidos e eletrólitos, em decorrência da hemorragia e diarreias frequentes. Estima-se que 25 por cento dos pacientes podem ser submetidos a cirurgia em algum momento do curso da doença.

Enquanto a retocolite ulcerativa caracteriza-se por inflamação e úlceras no revestimento do cólon ou intestino grosso, a doença de Crohn envolve todo o intestino, sendo que em cerca de 30% dos pacientes, o intestino fino (íleo) é a região mais afetada e, em 40%, a região ileocecal. Ambas podem se manifestar entre 30 e 35 anos de idade.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.