Caso foi registrado na DEM

Técnica de enfermagem acusa endocrinologista de violência sexual

Ela afirma que o abuso aconteceu dentro do consultório do médico, no Anjo da Guarda.
Imirante.com, com informações da Mirante AM16/05/2017 às 16h19
O caso foi registrado na Delegacia Especial da Mulher (DEM), em São Luís. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Nesta terça-feira (16), uma técnica de enfermagem procurou a Delegacia Especial da Mulher (DEM), em São Luís, relatando ter sofrido abuso sexual por parte de um médico endocrinologista.

Segundo a delegada Wanda Moura Leite, titular da DEM, a técnica afirmou que procurou o médico por recomendação de sua ginecologista, já que havia a suspeita de que a paciente estava com problemas hormonais. E, ao chegar à sala do endocrinologista, a técnica de enfermagem afirma que ele pediu para examiná-la.

“Ela conta que, durante o exame, por várias vezes, o médico introduziu o dedo na vagina dela como se quisesse excitá-la. Depois, começou a roçar o pênis nela e, até, tentou levar a mão da paciente ao seu órgão sexual. Diante disso, a jovem disse que ficou assustada e, aí, foi que percebeu que o médico estava com a calça aberta. De imediato, ela se levantou e reclamou da atitude do médico. No entanto, ele disse pra ela que isso era um procedimento normal. Revoltada com a situação, a técnica de enfermagem procurou a delegacia para prestar queixa contra o endocrinologista”, relatou a delegada.

Na delegacia, a técnica disse que o médico, que atende em uma clínica no Anjo da Guarda, aparenta ter em torno de 60 anos. “Ela relata que não imaginava que o médico fosse capaz disso, já que aparentava ser uma pessoa idônea. A jovem, ainda, conta que foi à clínica na companhia do marido, o qual ficou do lado de fora do consultório, sem saber que a mulher estava sendo vítima de uma violência como essa. É importante ressaltar que a vítima foi quem pediu que o caso fosse divulgado, pois ela disse que da mesma forma que foi violentada, pode haver outras mulheres que passaram pela mesma situação”, contou a delegada.

Ainda de acordo com Wanda Moura Leite, o caso está sendo investigado. A técnica de enfermagem já passou pelo exame de conjunção carnal e aguarda o resultado para comprovar a violência. Já o médico denunciado será chamado em breve, para ser ouvido na DEM. Além disso, a jovem, também, foi encaminhada à Defensoria Pública do Estado para que entre com uma ação contra a clínica na qual o endocrinologista atende.

A delegada Wanda Moura Leite ressalta que qualquer mulher que tenha sofrido algum tipo de abuso deve procurar a Delegacia Especial da Mulher, para que esse tipo de crime não fique impune.

Ouça a entrevista que a delegada deu na rádio Mirante AM falando sobre o caso:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2017 - Todos os direitos reservados.