Denúncia

Lançada campanha para combate à violência contra a mulher no MA

  •  

O Maranhão ocupa o 2º lugar entre os estados com maior índice de violência contra a mulher; a ativista Bárbara Penna esteve presente ao evento, promovido pelo TJMA e a Casa da Mulher Brasileira, contando sua história para alertar outras mulheres

0

SÃO LUÍS - O Tribunal de Justiça do Maranhão e a Casa da Mulher Brasileira de São Luís, com o apoio da Procuradoria da Mulher, lançaram, na manhã de ontem, 13, a campanha “O Respeito à Mulher Vale Ouro”. O evento aconteceu na Casa da Mulher Brasileira, no Jaracati e contou com a presença de autoridades, representantes dos sindicados dos bares, hotéis e restaurantes. O objetivo da campanha é chamar atenção e unir forças para enfrentar a violência contra a mulher.

De acordo com o Atlas da Violência 2018, o Maranhão ocupa o 2º lugar entre os estados com maior índice de violência contra a mulher. No ano passado 13.370 processos foram distribuídos no estado e 4.465 boletins de ocorrência foram registrados na capital.

Para debater sobre a temática e a convite da organização do evento, esteve presente a ativista contra a violência doméstica, Bárbara Penna. A jovem, de 24 anos ficou conhecida após ter sofrido agressões do ex-namorado que ainda assassinou os dois filhos que tinham e incendiou a jovem em Porto Alegre. Bárbara Penna teve 40% do corpo queimado e foi arremessada do prédio onde morava.

“A minha história aconteceu em novembro de 2013. Tudo começou após uma discussão, porque eu não queria voltar meu relacionamento com meu ex. Na época nós já estávamos separados e ele me chamou com a desculpa de ver os filhos e eu fui na inocência. Eu estava certa que queria quebrar aquele ciclo, que queria ser feliz, que queria a minha independência, resolvi ir dormir porque achei que ali tudo ia se acalmar. Eu fui dormir e acordei sendo espancada. Ele tentou quebrar meu pescoço, quebrou meu nariz, me deu socos e chutes, eu desmaiei e quando acordei estava sendo queimada viva. Eu fui pedir socorro, acreditando que nada fosse acontecer com os meus filhos, e ele veio atrás de mim e me jogou do terceiro andar”, relatou Bárbara Penna.

Bárbara enfrentou o momento transformando o luto em luta. Ela conta a sua história e encoraja mulheres de todo o país a não se calarem diante de situações de violência. “Eu tenho as minhas dores, as minhas lutas, eu tenho essa causa e acho que é algo de Deus, que me fortalece a cada dia para conseguir falar e passar uma mensagem para outras mulheres”, destacou a jovem.

Ela chamou atenção ainda para a importância da denúncia de casos de violência contra a mulher. “A gente pode estar aqui fazendo o nosso trabalho, a gente pode estar aqui conscientizando, mas a vida dessas mulheres só vai mudar quando ela tomar uma atitude. Então o ponto principal é isso, a mulher se autoavaliar, pensar nela, pensar nos filhos, porque quando uma mulher é agredida, não é só ela que sofre. A gente sempre passa para os filhos, para a família e para os amigos. É uma marca que a gente carrega para o resto da vida”, frisou.

A coronel da Polícia Militar do Maranhão e comandante da patrulha Maria da Penha, Maria Augusta Ribeiro, parabenizou a iniciativa e ressaltou o papel de cada integrante da rede de enfrentamento à violência contra a mulher.

A juíza Lúcia Helena Heluy, da 2ª Vara da Mulher Vítima de Violência Doméstica, alertou às vítimas desses crimes sobre a denúncia e o apoio que esses órgão oferecem a elas. “O propósito dessa campanha é levar a homens e mulheres a importância de ligar para o disque 180, saber que existe uma Casa da Mulher Brasileira aqui em São Luís que está preparada para prestar esse trabalho integrado de proteção à mulher”, destacou

De acordo com a juíza, a campanha percorrerá arraiais e festas durante o período de copa do mundo e São João, bares, hotéis e restaurantes, para divulgar os direitos da mulher, diretrizes da Lei Maria da Penha, da existência das medidas protetivas de urgência, como forma de incentivar a reeducação social, a fim de banir comportamentos machistas e violentos contra a mulher.

MAIS

Programação da Campanha " O Respeito à mulher vale ouro!"

14/06 ( hoje) - Arraial da Assembleia Legislativa ( Alema)

15/06 - Arraial da Associação dos Magistrados ( Amma)

16/06 - 19h, no Arraial da Vila Dom Luís

22h - no Arraial Maria Aragão

17/06 - 8h30, no Arraial do Ipem

20/06 - 20h, no Arraial CAPS AD

17h30 - Arraial do Turu

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.