Dano às pessoas idosas

A cada 10 casos de violência contra o idoso, sete são cometidos por familiares

  •  
  •  

Este e outros dados foram revelados na ação iniciada na tarde de ontem, no Lar de Mendicidade; ações promovidas pelo MP deverão ocorrer até amanhã

0
Idosos são alvo de violência no seio familiar
Idosos são alvo de violência no seio familiar

Dados do Disque 100 mostram que, a cada 10 casos de violência contra a pessoa idosa registrados no Maranhão nos últimos anos, sete têm como protagonistas (autores) pessoas oriundas da família da vítima. Este e outros dados foram revelados durante a abertura das atividades – organizadas pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA) – ontem, 13, no Lar de Mendicidade, em São Luís. O objetivo do evento, de acordo com organizadores, é chamar a atenção para o tema, especialmente com a proximidade do Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, que será lembrado amanhã, 15.

Ainda segundo o MP, com base em denúncias recebidas pelo Disque 100, a maior parte dos casos de violência causa danos psicológicos (26% do total) e se referem às ofensas, às ameaças e às humilhações, seja por meio de palavrões ou pela menção a termos considerados pejorativos e que atinjam a honra da pessoa idosa. De acordo com o MP, outros 20% dos casos estão relacionados à violência do tipo patrimonial ou financeira, que, com base em informações da Promotoria do Idoso, se enquadram nas ocorrências em que pessoas se valem da fragilidade dos idosos para “tomarem dinheiro” deles sem o consentimento dos mesmos.

O terceiro tipo de violência mais comum envolvendo pessoas idosas é a físic a (12,8% do total). “Quando se pensa que, na verdade, a violência física é a mais comum, os órgãos oficiais se deparam com números que atestam que a ofensa e a humilhação ainda são os danos mais comuns enfrentados pela pessoa idosa no Brasil e no Maranhão”, disse a promotora titular do Centro de Apoio Operacional de Proteção ao Idoso e Pessoa com Deficiência (CAOP), Gabriele Gadelha.

Ela, que proferiu palestra na abertura das atividades referentes à violência contra a pessoa acerca do tema, disse a O Estado que, em todo o ano passado, somente 22 denúncias de danos às pessoas mais velhas foram registradas no território maranhense. Segundo a promotora, este dado é a prova de que o estado também se configura entre aqueles que apresentam as chamadas subnotificações, ou seja, casos que ocorrem de violência e não chegam ao conhecimento do poder público. “Muitas vezes, por vergonha e principalmente por medo, estes casos não chegam ao conhecimento das autoridades necessárias, o que somente contribui para a atuação dos infratores”, afirmou Gadelha.

Evento
A programação do MP prosseguirá hoje com palestra “Combate à violência contra a pessoa idosa”, que acontecerá no Solar do Outono

(Cohab Anil). Amanhã (15), haverá programação das 13h30 às 18h, no Palácio Henrique de La Rocque, com palestras, mesas de diálogo e lançamento da logomarca da Rede de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa do Maranhão.

Exemplos
Enquanto há os casos de violência e abandono que, diariamente, são recebidos por órgãos como o MP e por responsáveis pelos lares de acolhimento, existem as histórias de pessoas idosas que conseguem viver bem esse período da vida. Um exemplo é Emanuel Moura Ramos, de 95 anos. Ele, além de esbanjar vitalidade, se apresenta no grupo “Amigos do Gen”. “Eu me sinto feliz por chegar nesta idade tão bem. Criei bem meus 13 filhos e agora vivo um dia de cada vez da melhor forma possível”, afirmou.

NÚMEROS

26% dos casos de violência contra a pessoa idosa se referem a danos psicológicos
70% dos autores de violência contra idosos fazem parte da família da vítima

Dados: Ministério Público do Maranhão (MPMA)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.