Estado Maior

Um crime atrás do outro

  •  

0
Um crime atrás do outro

A Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral - tanto suas instâncias estaduais quanto a federal - não param de receber denúncias comprovadas e documentadas contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus aliados comunistas e de outros partidos.
As ações acumuladas já levaram à primeira denúncia da Procuradoria Regional Eleitoral.
Ontem, 16, o Partido Republicano Progressista (PRP) apresentou mais uma denúncia contra Flávio Dino. Desta vez, o comunista foi flagrado pedindo, de forma explícita, votos em um evento do Solidariedade transmitido pela Internet.
É o mesmo caso do comício de Lula, no início do ano, quando houve até transmissão ao vivo pela rádio oficial do governo. E há outros crimes eleitorais cometidos por Flávio Dino e seus aliados e já catalogados na Justiça Eleitoral.
A série de denúncias contra o governo - são várias, e não apenas uma - envolve também auxiliares de Flávio Dino, como o ex-diretor do Procon-MA, Hildélis Duarte Júnior.
A Lei Eleitoral estabelece regras para evitar que as disputas políticas sejam desequilibradas por fatores alheios à vontade do eleitor, como compra de votos, uso da máquina e manipulação de resultados.
E os meios fiscalizadores e julgadores dos casos estão de prontidão para evitar que este desequilíbrio se transforme em estado de exceção.

A jato
O julgamento do caso envolvendo a pré-candidata Maura Jorge foi um dos mais rápidos da Justiça Eleitoral nesta pré-campanha.
Em menos de 30 dias, o Ministério Público recebeu a denúncia, encaminhou ao TRE, e a ex-prefeita foi julgada e condenada.
Mas há casos iguaizinhos - inclusive com uso de outdoors - em que a Justiça Eleitoral não teve o mesmo entendimento.

Intimidação
A rapidez das instâncias judiciais e policiais em favor de Flávio Dino tem alcançado também jornalistas e jornais.
Há um caso envolvendo um blog que publicou uma notícia às 22h, recebeu uma intimação mais tarde, às 14h, para depor no dia seguinte à polícia - que já estava com a acusação em mãos.
A agilidade dessas instâncias em uns casos - confrontados com a leniência flagrante em outros - deve gerar pedidos de observadores na eleição maranhense.

Reincidente
Mesmo sucessivamente já denunciado à Justiça Eleitoral e à Justiça Comum, o ex-diretor do Procon Duarte Júnior continua a usar a estrutura do órgão em sua campanha.
Em suas andanças pelo interior, além de recebido por servidores do órgão, são os equipamentos das sedes dos Procons que são usados em suas palestras.
A postura dos auxiliares de Flávio Dino - sobretudo os mais jovens, que foram seus alunos, como Duarte e o procurador Rodrigo Maia - é de absoluto desprezo pelas leis e regras.

Fujão
O site O Antagonista revelou que o deputado federal Weverton Rocha (PDT) está se escondendo do oficial de Justiça para não depor em um processo judicial no Supremo Tribunal Federal.
Trata-se da Ação Penal 3621, que trata de derrubada do Ginásio Costa Rodrigues, na época em que o pedetista era secretário de Estado, no governo Jackson Lago (PDT).
De acordo com o site, Weverton tenta, em vão, devolver o inquérito para a 1ª Instância, mas o caso já está pronto para julgamento no STF.

Humilhação
A nota do PT - uma espécie de clamor ao governador Flávio Dino - expôs até a própria presidente nacional do partido, senadora Gleisi Hoffmann.
É que o apelo por uma vaga na chapa de Dino se deu apenas uma semana depois de o próprio comunista descartar Lula como candidato a presidente.
Ao que parece, Gleisi Hoffmann foi iludida pelos petistas maranhenses, sem qualquer cacife para sentar à mesa de negociação no Maranhão.

Na mídia
O ex-deputado federal e ex-prefeito de Caxias Paulo Marinho agora é a estrela de um dos mais influentes programas políticos da região do leste maranhense.
Ele ancora o “Mesa Redonda”, na TV Band, de Caxias, em que entrevista, analisa e opina sobre os fatos políticos da região e do Maranhão.
E tem gerado forte repercussão, tanto no Maranhão quanto no Piauí.

DE OLHO

R$ 5 mil É o valor da multa à pré-candidata Maura Jorge por uso de um outdoor com Jair Bolsonaro. Enquanto isso, as ações contra Duarte Júnior não andam.

E MAIS

• Enquanto o deputado federal Waldir Maranhão tenta minar seu projeto senatorial, o deputado estadual Alexandre Almeida vai somando apoios no interior maranhense.

• O disse-não-disse de Marcelo Tavares sobre o vice Carlos Brandão deu tanto o que falar nos meios governamentais que o ex-secretário resolveu mergulhar.

• A pesquisa divulgada pelo Palácio dos Leões foi tão desacreditada que nem a própria mídia alinhada ao governo teve coragem de analisar com mais propriedade.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior