Sistema Italuís

Caema explica procedimentos de instalação da nova adutora

  •  
  •  

Sistema de abastecimento será religado na tarde de sábado, 19, conforme garantiu o presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão, Carlos Rogério Araújo; abastecimento foi interrompido desde ontem

0

SÃO LUÍS - Os serviços de interligação da nova adutora do Sistema Italuís estão seguindo o cronograma e serão concluídos no tempo estimado, possibilitando o religamento no dia 19, sábado. Esta foi a afirmativa do presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), Carlos Rogério Araújo, na manhã de ontem, no lugar onde acontece a obra, na entrada de Perizes de Baixo.

Na manhã de ontem, os serviços relacionados à nova adutora foram iniciados e as etapas para a parada programada supervisionadas pessoalmente por Carlos Rogério Araújo e pela equipe responsável pela obra.

Ele informou que os serviços estão seguindo o cronograma com uma hora de antecedência. As etapas principais para a ligação da antiga adutora com a nova já começaram e devem ser finalizadas em até 54 horas. “Nós já estamos com a peça de união das duas adutoras descida, já estamos ponteando para fazer a solda. São três soldas, com tempo de 24 horas para execução. Depois, teremos seis horas para lançamento do concreto e temos mais o tempo de cura do concreto, de 24 horas”, explicou o presidente.

Ainda de acordo com Carlos Rogério Araújo, a estimativa é de que os serviços sejam concluídos em até quatro dias. “Nosso tempo [de conclusão] está estimado em 86 horas. Nós esperamos que, com esse ganho que está tendo de uma hora aqui, outra ali, a gente espera também encurtar esse tempo de 86 horas”, esclareceu.

O presidente da Caema garantiu que o abastecimento será reestabelecido a partir das 12h de sábado e pediu desculpas à população pelos transtornos acusados pela obras. Segundo ele, a população será beneficiada com o aumento de 30% na vazão de água com a instalação da nova adutora, que garantirá também estabilidade no serviço de abastecimento hídrico da cidade.

Ele explicou ainda que a antiga adutora não será desativada, para que se tenha “confiabilidade operacional e possa estar trabalhando com uma ou com outra e a cidade ganhar com isso”.

Em dezembro de 2017, um serviço semelhante foi realizado para a instalação da nova adutora, mas após problemas técnicos ocorreu um vazamento, deixando a população sem água durante seis dias. Apesar disso, o presidente garantiu que todas as medidas necessárias estão sendo tomadas e não há riscos de insucesso.

Armazenamento

Preocupados com a falta d’água, moradores dos bairros afetados pelo desabastecimento do Sistema Italuís armazenaram água como puderam. O estudante Felipe da Silva contou como a situação tem afetado seu bairro.

“Lá em casa, nós, felizmente, conseguimos uma caixa [d’água], mas a maioria das casas por aqui não têm, o que dificulta [o armazenamento], para muitas pessoas. Nos planejamos até sábado, mas eu acho que a água não deve durar esse tempo todo”, ressaltou.

Elisson Alves, residente no bairro Pedrinhas, também apontou as dificuldades para o armazenamento do recurso.
“Aqui no bairro a gente não tem como armazenar água, porque não temos uma caixa nem tanque. Aí, a gente enche o que a gente tem, baldes, o que a gente pode encher. Aí, vai economizando”, contou.

SAIBA MAIS

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão está emitindo boletins, por meio das redes sociais do Governo do Estado, para informar a população sobre o andamento das obras. Foi emitido um informativo às 12h de ontem. Segundo ele:
- O início dos trabalhos de interligação da nova adutora ao Sistema Italuís deu-se às 6h;
- Foram concluídos o esgotamento da adutora e a desmontagem de junta mecânica;
- A fase atual é de caldeiraria e acoplamento da peça Y, acontecendo no Km 43, e implantação da subestação elétrica da captação de água bruta, que acontece no Sistema Italuís, de forma simultânea.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.