Estado Maior

Mais enrolado

  •  

0
Mais enrolado

O governador Flávio Dino (PCdoB) não conseguiu construir a imagem de vítima das circunstâncias que tentou formar ao longo do seu discurso de tentativa de desqualificação da operação da Polícia Militar que visava espionar seus adversários políticos. Até agora, Dino e seu secretário de Segurança, Jefferson Portela (também do PCdoB), insistiam na tese de que a Circular 098/2018, que ordena a espionagem nos adversários, tratou-se de um caso isolado, de um oficial da Polícia Militar que agiu por conta própria.
Mas os fatos mostram que a circular é oficial, partiu de um oficial de patente superior e com chancela do comando geral da própria PMMA, inclusive com numeração oficial. E gerou outras circulares, também numeradas, espalhadas entre os quartéis do interior, na tentativa de cumprir as ordens exaradas do comando superior da corporação.
E agora há mais um elemento que reafirma a condição de oficialidade da ação de investigação dos adversários de Flávio Dino. A ordem foi determinada por um tal “coordenador das eleições de 2018” dentro das fileiras da PMMA. E se há um coordenador, há também aquele que nomeou o coordenador, um documento, uma portaria, uma ordem assinada, que seja. A menos que Dino – e seu secretário Portela – tente agora dizer que o tal coordenador também se criou espontaneamente.
Mais do que brincar com a inteligência da opinião pública, se insistirem com a tese do “por conta própria”, Dino e Portela estarão dizendo a essa opinião pública que não têm comando algum sobre a PMMA, que se determina e age por conta própria. E o caminho deles é um só, porque não têm capacidade para comandar um estado, já que não conseguem pôr em ordem, sequer, uma instituição.

R$ 50 milhões
A decisão da bancada federal, de retirar do governo Flávio Dino e transferir para as prefeituras R$ 50 milhões em emendas para a saúde, revelou duas sentenças sobre os comunistas.
A primeira é que as graves denúncias de corrupção no sistema de Saúde comandado por Flávio Dino tiraram qualquer resquício de credibilidade comunista para controlar recursos no setor.
A outra é que alguns dos deputados federais que Flávio Dino tem como aliados na Câmara simplesmente deram de ombros para os interesses do governador.

Sem poder
Flávio Dino, como sempre faz, tentou passar-se como vítima, dizendo que a coordenadora da bancada retirou R$ 50 milhões da saúde do Maranhão.
Mentiu. O que houve com os recursos é que eles serão repassados diretamente às prefeituras e não mais ao Governo do Estado.
E quem pediu essa realocação foram ex-aliados comunistas, como José Reinaldo e Waldir Maranhão (ambos do PSDB), e aliadas de peso, como Eliziane Gama (PPS).

Um corpo
O médico Mariano de Castro revelou em sua carta-denúncia antes de morrer que pagou R$ 11 mil pelo traslado de um corpo vinculado aos comunistas.
Embora sem dizer para onde este corpo foi levado, a partir de São Luís, o médico disse que fez transferência direta de sua conta para a da funerária responsável pelo traslado.
A quebra do sigilo bancário e dos dados de e-mail do médico devem agora apontar, ao menos, quem foi o “membro do PCdoB” que determinou o pagamento pelo traslado do corpo.

Ofensas
Os partidos de oposição na Assembleia Legislativa representarão na Justiça uma ação contra o governador Flávio Dino (PCdoB) por declarações ofensivas em redes sociais.
Sem medir ofensas, o comunista chamou de "máfia maranhense" lideranças políticas que reagiram após a revelação de que a Polícia Militar recebeu a ordem para monitorar opositores do governo Dino durante as eleições.
A oposição na Assembleia solicitou intervenção federal na Segurança Pública do Maranhão após denúncias divulgadas na imprensa sobre a utilização política das forças policiais no interior do estado.

Do rádio às urnas
Mais um profissional de comunicação do Maranhão confirma que disputará a eleição de outubro.
Após filiar-se ao Partido Republicano Progressista (PRP), o jornalista e radialista Geraldo Castro, apresentador do programa Abrindo o Verbo, na Rádio Mirante AM, anuncia que concorrerá a uma cadeira no Senado Federal.
Convidado a ingressar no PRP pelo ex-deputado Ricardo Murad e pelo deputado estadual Sousa Neto, o experiente comunicador demonstra estar disposto a encarar as urnas.

DE OLHO
R$ 22 milhões foi quanto os deputados ligados a Flávio Dino garantiram em emendas para o setor da Saúde, gerenciado pelo governo, mesmo diante das denúncias

E MAIS

• O Palácio dos Leões tem avaliado diariamente a amplitude do desgaste do governo Flávio Dino com os sucessivos escândalos.

• Não chamem para a mesma cerimônia religiosa a deputada federal Eliziane Gama e o ex-secretário Márcio Jerry, que batem de frente sobre a questão da chapa senatorial.

• O vice-governador Carlos Brandão continua garantindo que pode ser, sim, candidato a vice-governador nas eleições de outubro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior