Cidades | IBGE

Esgoto inadequado em mais da metade dos domicílios do MA

Mais de 64% das residências avaliadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD_C) durante o ano passado possuem fossas não ligadas à rede de esgotamento sanitário
Daniel Júnior / O Estado27/04/2018
69,7% das residências têm rede geral ou fossa ligada à rede e 28% não (Biné Morais / O ESTADO)

O Maranhão é o terceiro da Região Nordeste e o quinto do Brasil com o maior número de domicílios que possuem fossas não ligadas à rede de esgotamento sanitário: 1,3 milhão de casas com o es­goto irregular. Esse número corresponde a mais de 64% dos domicílios avaliados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD_C) durante o ano passado e divulgada ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
No ranking do esgotamento sanitário irregular do Nordeste, o Maranhão só fica atrás do Piauí e do Rio Grande do Norte, que ocupam a primeira e segunda colocação, respectivamente.
A pesquisa também demonstrou que houve um aumento na quantidade de domicílios que possuem rede geral ou fossa ligada à rede de esgotamento. No ano de 2016, havia um total de 351 mil adequados e em 2017 o número passou para 394 mil.
Em São Luís, 28% dos domicílios pesquisados, o que corresponde a 91 mil, têm fossa não ligada à rede de esgoto; 69,7% das residências, 226 mil casas, tem rede geral ou fossa ligada à rede e 2%, 7 mil, tem outras formas de esgotamento.

Fonte de água
De acordo com a pesquisa, o estado continua sendo o quinto em todo o Brasil com a menor cobertura do serviço de água, embora o número de domicílios abastecidos por rede geral de distribuição de água no Maranhão tenha crescido, de 67,8% para 71,7%.
Essa é a mesma posição ocupada em 2016. Os dados ainda mostram que houve diminuição na quantidade de residências abastecidas por poço profundo ou artesiano, passando de 21,6% para 16,3% em 2017.

Destinação do lixo
Em 50,3% dos domicílios maranhenses, o lixo é coletado diariamente, enquanto em 26,2% os dejetos são queimados dentro da propriedade.
Além disso, em 18% dos domicílios o lixo é coletado em caçambas e em 5,5% das casas pesquisadas é dada outra forma de destinação para o lixo.

Outros dados da pesquisa
O Maranhão continua sendo o estado com o menor percentual de domicílios com microcomputador entre todas as unidades da federação. Outro bem com pouca penetração nas casas maranhenses é a máquina de lavar roupa. Além disso, o Maranhão é o terceiro estado com o maior percentual de casas que possuem apenas TV de tubo. São 41,5% das residências pesquisadas em 2017.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.