Oton Lima

De olho nos aviões

  •  

0
o Repórter PH com Nilson Ferraz e Luiz Carlos Cantanhede Fernandes que, aliás, lamentou muito, como todos nós, o falecimento do seu xará, médico urologista Luiz Carlos Cantanhede, vítima de um atropelamento na estrada de São José de Ribamar
o Repórter PH com Nilson Ferraz e Luiz Carlos Cantanhede Fernandes que, aliás, lamentou muito, como todos nós, o falecimento do seu xará, médico urologista Luiz Carlos Cantanhede, vítima de um atropelamento na estrada de São José de Ribamar

Nestes tempos de dinheiro curto para a campanha eleitoral, os políticos tentam descobrir as mais ousadas saídas. Os maranhenses, por exemplo, estão pegando e agarrando tudo o que podem para poupar custos e já constataram um fato: não há lei que proíba amigo de emprestar carro para os candidatos. É nessa linha que um deputado amigo do PH, vaticina: “Está todo mundo de olho nos carros e nos aviões dos amigos. Emprestar não é pecado”.

Temer e Sarney
Nas conversas sobre política no fim de semana, tudo girou em torno do da reunião do presidente Michel Temer, sábado, no Palácio do Jaburu, com o ex-presidente José Sarney, que também é filiado ao MDB.
O encontro aconteceu um dia após publicação de entrevista de Temer à revista IstoÉ, na qual o presidente admitiu pela primeira vez publicamente que tentará reeleição neste ano. “Seria uma covardia eu não ser candidato”, disse Temer.
Com a candidatura de Temer, o MDB passou a trabalhar para que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, se filie à legenda e permaneça como uma espécie de “plano B” para o caso de Temer não conseguir viabilizar sua candidatura e desistir de entrar no páreo.
Se o presidente não recuar, porém, o partido avalia que Meirelles pode ser vice na chapa.

Gastos excluídos
Em alguns estados, os Tribunais de Contas estão decidindo retirar dos gastos de pessoal das prefeituras os custos das contratações de empresas terceirizadas e do pessoal dos programas federais.
Mas os prefeitos não devem sair por aí festejando. O bom senso manda ter cautela. É que ainda estão sendo estudados os casos em que tais gastos ficarão excluídos das exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal. Ou seja, o que pode e o que não pode.
Em outras palavras, os tribunais de contas querem dar um freio de mão para evitar que os prefeitos entendam a flexibilização como uma liberação geral e com isso disparem o gatilho do empreguismo.

Nem tanto assim
A propósito: prefeitos se queixam de que ficam incluídos nos gastos das prefeituras os custos do pessoal de programas federais, e isso é responsável por grande parte das desditas deles.
Mas é bom ressalvar que, embora os colegiados sejam a favor da revisão dos critérios, não é essa a principal causa de rejeição de contas.
O motivo que lidera o número de rejeições é o não cumprimento do dispositivo legal que proíbe o gestor de gastar mais do que pode pagar no próprio exercício.
A seguir, vem o não pagamento de multas impostas pelos próprios tribunais, que deve ser feito ao próprio município. A rejeição por ultrapassar o limite de gastos com pessoal vem em terceiro lugar.
Em suma, os prefeitos ganharão um alento, mas é bom maneirar no foguetório.

Mau negócio
Um comprador de consórcio de veículo num dos mais importantes bancos da praça ficou injuriado quando quis liquidar o negócio agora, que, pelas prestações previstas, ainda demora mais 20 meses.
Primeiro, mesmo que ele quite de uma só vez as parcelas restantes, o consórcio não dá a carta de quitação. Ele é obrigado a esperar para ver se vai ‘ser contemplado’.
Segundo, mesmo quitando, se for ‘contemplado’ e quiser resgatar o valor contratado em dinheiro, tem que esperar nada menos que 120 dias, ou seis meses.
É tudo previsto em contrato, mas alguns especialistas dizem que, além de ser juridicamente questionável, o mais aconselhável é cair fora. Como negócio, é uma lástima.

TRIVIAL VARIADO

Filiado ao PCdoB, o governador Flávio Dino já tem candidato – ou melhor, candidata – à Presidência da República. O partido comemorou seus 96 anos de fundação e lançou candidata a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila.

No assunto: a candidata criticou os que defendem um Estado mínimo, acentuando que “ele é grande para os bancos, é grande para nos oprimir e fazer com que percamos as esperanças.”

Para os eleitores, a partir de agora, o essencial é saber o que cada candidato, em caso de vitória, fará ao assumir o governo. O resto é conversa fiada e perda de tempo.

Corre nos bastidores de Brasília que partidos da base aliada pretendem engordar o fundo eleitoral, que neste ano terá 1 bilhão e 700 milhões de reais em recursos públicos. Mesmo que seja um balão de ensaio, precisa ser fulminado na arrancada por pressão da opinião pública.
O senador Roberto Requião, ex-governador do Paraná e conhecido como Metralhadora Giratória, veio inúmeras vezes ao Rio Grande do Sul, nos últimos anos, para participar de eventos do MDB. Em nenhum deles deixou de criticar a direção nacional, centrando fogo no grupo de Michel Temer.

Com a possibilidade de Lula não concorrer à Presidência, Requião poderá ser convidado a substituí-lo. A ficha de inscrição no PT está pronta no forno para assinatura.

As imagens de rejeição a Lula no interior do Rio Grande do Sul foram gravadas por assessores e passeiam agora pelas regiões Norte e Nordeste para demonstrar aos eleitores do PT como as elites tratam o líder.

Esta semana será mais curta na Assembleia Legislativa do Estado. Com os feriados religiosos, haverá o expediente de segunda a quarta-feira. Depois, muitos deputados vão visitar as suas bases políticas no interior do Maranhão.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, segue a rotina de pré-candidato: reserva para as sextas-feiras uma boa notícia. A última: com a queda da taxa, os brasileiros com dívidas pagarão 80 bilhões de reais a menos em juros este ano.

Hoje, começa em Brasília a corrida dos partidos para assumir as 25 comissões técnicas permanentes da Câmara dos Deputados. É o poder disputado metro a metro. MDB, PSDB e PT ficarão com as maiores fatias: três para cada um. Parlamentares maranhenses estão de olho.

Registro do folclore político: em uma campanha eleitoral, candidato de primeira viagem, Erasmo Dias foi a uma pequena cidade e perguntou sobre fornecimento de água encanada, luz elétrica, esgoto e atendimento hospitalar. Diante das respostas, todas negativas, recomendou: “Então mudem de cidade”.

DE RELANCE

Moro no ar
O programa Roda Viva, da TV Cultura, exibido no Maranhão pela TV Brasil (canal 2), está sendo aguardado com enorme expectativa na noite de hoje, às 22h15. O entrevistado é o juiz Sérgio Moro, o magistrado da Lava Jato, na sua primeira entrevista ao vivo a uma emissora de televisão. O prato do dia é a Lava Jato, óbvio ululante.

Cerimonialistas
Está sendo esperado em São Luís nesta terça-feira, o Presidente do Comitê Nacional de Cerimonial e Protocolo para que a categoria de Cerimonialistas dos eixos público, empresarial e social possam intercambiar conhecimentos acerca do momento da regulamentação dessa profissão no Brasil.

Cerimonialistas 2
Apesar do Ministério do Trabalho já ter identificado e codificado por numeração essa profissão, por anos ainda há um enorme sacrifício para que seja aprovado o Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados e por consequência no Senado Federal, para que os profissionais que desenvolvem essa atividade possam de fato terem a sua profissão merecidamente reconhecida.

Cerimonialistas 3
A coordenação do evento segue sob a regência da comissão liderada por Eric Teixeira, designado pelo Presidente Silvio Lobo para a condução do processo até a eleição da Diretoria Regional que deverá tomar posse dia 6 de abril, em Brasília, junto com todas as Regionais dos Estados. O evento do dia 27 conta com o apoio dos parceiros cerimonialistas Gisela Diniz, Marcelo Cláudio, Walquiria Moraes, Arimatea Júnior, Cybele Lauande, além das empresas Buffet Villa Reale e Folhagem (Reginaldo Silva).

Dadá show
Quem foi ao Teatro Arthur Azevedo no fim de semana assistir ao espetáculo “Corta!”, com a comediante Dadá Coelho e o ator e visagista Beto Carramanhos, não se decepcionou. Dadá, por exemplo, agradou bastante e deu um show de firmeza e domínio do texto no palco. Além disso, a piauiense improvisou criativamente, quando necessário, para aproveitar ao máximo a participação da plateia. Ao término, revelou: “Peguei dengue e estou com febre, mas estar aqui em São Luís me apresentando neste teatro é maravilhoso”. E, em seguida, anunciou a presença da mãe e das irmãs na plateia.

Semana Santa
Começou a caça aos frutos do mar. É que, como reza a tradição, os católicos não comem carne na Semana Santa. Resultado: quem vende peixe, pescados e camarão, fatura bastante nesta época do ano. Um dos locais de maior concentração de produtos frescos é o Mercado do Peixe próximo ao bairro Desterro. Gente de todos os cantos da cidade para lá se dirige em busca dessas delícias que o mar nos dá. Aliás, receitas não faltam para a composição do cardápio de Páscoa.
O melhor de tudo é colocar o avental e a mão na massa. Ou no pescado.

Celebração à amizade
Jana Figarella e Emerson Espíndola, atores, cantores e instrumentistas, reúnem-se para reproduzir um encontro emocionante entre dois artistas que marcaram para sempre a história da música popular brasileira: Cássia Eller e Nando Reis, em uma grande celebração à amizade, num show que mistura música, causos e teatro. Jana e Emerson fizeram parte do Musical Cássia Eller, que percorreu todas as capitais brasileiras em turnê, e foi um sucesso com 4 sessões lotadas no Teatro Arthur Azevedo.

Celebração à amizade 2
Jana Figarella e Emerson Espíndola retornam em abril a São Luís para nos presentear com o seu mais novo trabalho: Show All Star – Um Encontro Que O Tempo Não Apaga, que terá uma única apresentação, dia 6, no TAA. Será, sem dúvida, uma noite repleta de grandes sucessos e releituras que marcaram a carreira e a amizade de Cássia e Nando.

Para escrever na pedra:
“O melhor espelho é um velho amigo”. Pérola de George Herber sempre atual.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.