PH

Pergentino Holanda

  •  

0
Pergentino Holanda
Hubert de Givenchy, o aristocrata francês de 1m98, que fundou a casa Givenchy, morreu aos 91 anos. Batizado Hubert James Marcel Taffin de Givenchy era filho dos marqueses Lucien e Béatrice Taffin de Givenchy. (Foto: Divulgação)

Morreu a lenda da moda
O mundo da moda perdeu um gigante – no sentido figurado e literal da palavra. Hubert de Givenchy, o aristocrata francês de 1m98, que fundou a casa Givenchy, morreu aos 91 anos. Batizado Hubert James Marcel Taffin de Givenchy era filho dos marqueses Lucien e Béatrice Taffin de Givenchy. O avô tinha uma fábrica de tapetes e o seu interesse pela moda começou quando tinha 10 anos.
Aplaudido como o último grande nome dos anos de ouro da alta-costura, “Givenchy foi a quintessência de alta-costura francesa do pós-Guerra”, como pontuou a historiadora de moda Valerie Steele, diretora do museu do New York's Fashion Institute of Technology, citada pelo Los Angeles Times.
Nas redes sociais, a marca lembra agora o criador como “uma grande personalidade do mundo da alta-costura francesa e um cavalheiro que simbolizou o chique e a elegância parisienses por mais do que meio século”.
No universo de Givenchy, elegância era, aliás, a expressão máxima de estilo. Será difícil encontrar uma palavra para melhor descrever o trabalho e a postura do criador, à exceção, talvez, de simplicidade. A inovação não estava em peças vistosas, mas na melhor versão de uma peça tão simples quanto um vestido preto.

Sem surpresa
Não há surpresa no surgimento até agora de 12 candidatos à sucessão presidencial.
Quando um governo enfrenta problemas de popularidade como o atual, os partidos querem correr em faixa própria para criticar e também ganhar exposição, elegendo mais parlamentares ao Congresso.
Rodrigo Maia deu a largada, dizendo que o governo federal está falido: “Só não quebra porque pode emitir títulos da dívida ou dinheiro. Se nada for feito, voltaremos à hiperinflação pré-1994.”
O deputado federal do DEM exagera, porque a inflação e a taxa de juros nunca estiveram tão baixas.
Na campanha, serão todos contra Henrique Meirelles, o único a defender a política econômica do governo.
A chance é remota, mas talvez tenha a companhia de Michel Temer.
Nesse caso, Meirelles passaria a vice da chapa.

40 anos
Esta coluna cochilou ao fazer as contas e aumentou para 50 anos a idade do jovem empresário Glauber Gentil, sócio-diretor da Multifranqueada Gentil Negócios.
Ele, na verdade, vai comemorar, no dia 15 de maio, seus bem vividos 40 anos, com uma grande festa em Lisboa.
De lá, o taurino segue com sua amada Adriana, para as Ilhas Malfitanas, onde comemoram a dois, seus 12 anos de casados.
Os Gentil do Rio Grande do Norte e do Maranhão vão fazer a travessia do Atlântico para participar na festa na capital portuguesa.

Sem atropelos
Uma coisa é tida como certa: a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, não vai apequenar o STF.
Ela manteve sua posição de não atropelar a pauta.
Deixou claro isso ao antecipar a pauta de abril e nela não incluir o exame das ações sobre a prisão imediata para condenados em segundo grau.

IT Gourmet
Os irmãos Soraia Fialho e Marcelo Fialho têm os melhores motivos para comemorar.
Seu bem montado empório e restaurante IT Gourmet virou ponto de encontro de gente badalada da sociedade.
A próxima etapa da casa é abrir o salão no andar superior, especialmente para pequenas recepções e com entrada independente.
Enquanto isso, a tendência, no momento, é desativar o Caves Gourmet para que possam dar mais atenção ao novo empreendimento.

Audrey Hepburn: musa e amiga
Elegância e simplicidade terão sido também as duas características que, em primeira instância, aproximaram Givenchy de Audrey Hepburn, a sua grande musa (e amiga) de mais de 40 anos. A história de como os dois se conheceram já foi contada e recontada ao longo dos anos: ela procurava um guarda-roupa para o filme ‘Sabrina’ – pelo qual foi indicada para um Oscar –, e ele, contatado por uma “miss Hepburn”, assumiu que se iria encontrar com Katharine Hepburn. Ela chegou ao atelier do criador com uma simples t-shirt atada em nó, umas sabrinas e um chapéu e ele, a partir de então, nunca mais deixou de desenhar para a atriz, quer a roupa do dia-a-dia, quer o guarda-roupa de filmes como ‘Bonequinha de Luxo’ (Breakfast at Tiffany's). “A roupa de Givanchy me ajudava a entrar nos papéis”, confessou a atriz.
O nome de Audrey Hepburn tornou-se indissociável do de Givenchy e o longo vestido preto que a atriz usou em ‘Bonequinha de Luxo’ é a imagem de marca do estilista. Em 1957, a atriz deu o rosto ao primeiro perfume Givenchy, L'interdit. Então, o sucesso do lançamento foi notícia de grande destaque porque o mundo via, pela primeira vez, uma atriz como imagem de um perfume.
Jacqueline Kennedy, antiga primeira-dama norte-americana admirada em todo o mundo pelo seu estilo, também deu preferência à estética da marca durante os seus anos na Casa Branca. Em 1961, durante uma visita de estado a França, fez uma entrada inesquecível ao usar um vestido de seda Givenchy no Palácio de Versalhes.

Grandes clientes de Givenchy
Além de Audrey Hepburn, Givenchy desenhou roupas para outras estrelas, quer do mundo do cinema, quer da alta sociedade, como Jackie Kennedy, a princesa Grace do Mônaco, Jane Fonda, Elizabeth Taylor, Wallis Simpson e a brasileira Carmen Mayrink Veiga, que era sua mais querida cliente da América Latina, entre outras.
A filosofia de elegância e simplicidade era também aquilo que ligava o francês ao seu grande ídolo, Cristóbal Balenciaga. Conheceu-o em 1953 – no mesmo ano que Audrey –, em Nova York, e os dois acabaram por tornar-se amigos íntimos.

Criativo e empreendedor
Na década de 1940, o aristocrata (era conde) começou a trabalhar com Jacques Fath, enquanto ainda estudava Belas Artes; em 1946 trabalhou para Robert Piguet e um ano depois estava com Lucien Lelong, para se juntar a Elsa Schiaparelli, no mesmo ano, onde se tornou diretor artístico. Fundou a marca com o seu nome em 1952.
Apesar de vender a empresa a um dos grandes conglomerados de luxo em 1988, Givenchy permaneceu durante anos como diretor criativo e em 1995 apresentou o seu último desfile. Foi um momento emocionante, que reuniu grandes nomes da alta-costura, como Yves Saint Laurent, Paco Rabanne, Christian Lacroix e Valentino, na primeira fila. Do Brasil, estava Carmen Mayrink Veiga com a filha Antonia Frering, que desfilou com a filha Maria, encerrando o desfile.

O encontro com outras lendas
Por uma feliz coincidência, nessa mesma semana eu estava em Paris e fui jantar no charmoso restaurante Ivan, com Lydia Moraes Correia. Qual não foi nossa surpresa quando Givenchy adentrou o recinto com Christian Lacroix, Valentino e Régine Choukroun, que imperou nas décadas de 1970 e 1980 com seus clubes noturnos Régine's ao redor do mundo, inclusive no Rio de Janeiro e em Salvador.
Givenchy considerava a elegância uma característica intrínseca, como deu a entender num evento organizado na Universidade de Oxford, há oito anos. “Precisam, se possível, de nascer com uma espécie de elegância. Faz parte de vocês”, disse, citado pelo Independent. Acrescentava ainda um conselho prático: “Têm de simplificar.”
Em tempo: no ano passado não cheguei a Paris a tempo de ver uma retrospectiva das coleções de Hubert de Givenchy, assinalando os 65 anos da fundação da casa de alta-costura.

Tendência na campanha local
A tendência é de que os coordenadores de marketing das principais campanhas para o Palácio dos Leões sejam maranhenses. Nem sempre foi assim. Além de mais próximos
da realidade local, sabem das dificuldades financeiras das campanhas. E principalmente do Estado.

DE RELANCE

TVN e alternativas
Em virtude da greve nacional dos Correios, a TVN caiu em campo para lembrar aos seus usuários que os mesmos poderão emitir a fatura mensal pelo Site www.tvn.com.br Gratuitamente (Opção Gerar Boleto) para evitar atrasos no pagamento. Ou se preferirem, podem passar na loja da empresa localizada na Av. Colares Moreira, Bairro São Francisco, para retirar a conta do mês e no mesmo local também fazer o pagamento, se assim desejarem.

O favorito do Papa
Conta Hildegard Angel que o Papa Francisco, apesar de não vir ao Brasil nem planejar qualquer visita, e há quem vincule essa ausência papal à temerária presença, tem enviado para cá seus mais ilustres representantes. Além do cardeal O’Brien, o segundo na hierarquia do Vaticano, que chegará em maio ao Rio, outro que virá é o cardeal Peter Turkson, uma das autoridades eclesiásticas em que o Papa Francisco mais confia.

O favorito do Papa 2
Turkson fará a conferência de abertura do I Congresso Brasileiro de Instituições Católicas, em julho, no auditório da Arquidiocese do Rio. O tema será “Desenvolvimento Humano Integral”. O cardeal Turkson é ganês e atual prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, instituído no ano passado pelo Papa. Antes dessa função, o cardeal atuava como Presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz.

Vivo e homenagem
Com 20 anos de listagem na Bolsa de Valores de Nova York, a Vivo recebeu homenagem ontem. Seus executivos foram convidados a participar da cerimônia do Closing Bell, quando o presidente da Telefônica Brasil, Eduardo Navarro, o COO (Chief Operating Officer), Christian Gebara, e o CFO (Chief Financial Officer), David Melcon tocaram o sino ao final do fechamento do pregão. Quanto à atuação da Vivo no Maranhão, somente em 2017, a operadora investiu R$ 44 milhões no estado – mais que o dobro em relação ao ano passado –, especialmente na expansão e adensamento de sua rede e cobertura.

Uma Constituição peculiar
Do Estadão, em editorial: “Está-se diante da primeira autorização para quebra do sigilo bancário de um presidente da República no exercício de seu mandato. A medida compreende o período entre 2013 e 2017. O curioso no pedido da autoridade policial é que nem mesmo a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, incluiu Michel Temer no pedido de investigação por supostas irregularidades na concessão de áreas do Porto de Santos, que teria favorecido a empresa Rodrimar. A quebra do sigilo bancário do presidente Michel Temer só poderia ser autorizada se contra ele houvesse indícios de participação no suposto esquema envolvendo a edição do Decreto dos Portos. Tanto não há que a PGR não requereu a medida”.

Advocacia e empreendedorismo
No mês da mulher, advogadas do estado estarão reunidas, nesta quinta-feira para o I Encontro de Advogadas do Maranhão, promovido pela OAB Maranhão. Com o tema “Empreendedorismo e visão sociopolítica”, o evento terá palestras de profissionais renomadas do país, que discutirão temáticas voltadas para o mercado profissional. As inscrições para advogadas e estagiárias adimplentes são gratuitas mediante doação de 2 Kg de alimentos não perecíveis.

Consultora e imagem,
A consultora e imagem, Hérica Soares, é a convidada do Beauty Talk, promovido pela Clínica Hosana Reis, da médica Hosana Reis, no próximo sábado, 17. O encontro será um bate-papo sobre beleza, moda e bem-estar, voltado especialmente aos clientes da clínica.

Para escrever na pedra:3
“Não fique se gabando do seu sucesso, mas também não peça desculpas por ele.” De Jackson Brown Jr.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de PH