Assassinato

“Tribunal do Crime” faz mais uma vítima na Ilha

  •  
  •  

Fábio Costa, o Fabão, achado morto em Paço do Lumiar, teria sido condenado a morte por furto

0
Davi dos Santos, acusado do homicídio
Davi dos Santos, acusado do homicídio (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - A polícia afirmou nesta sexta-feira, 12, durante entrevista na Rádio Mirante AM, que Fabiano Costa Ferreira, o Fabão, de 41 anos, foi uma das vítimas do “Tribunal do Crime”, coordenado por “faccionados”. Ele foi morto a tiros na quinta-feira, 11, na cidade de Paço do Lumiar, por cinco criminosos. Um deles, identificado como Davi dos Santos Sousa, de 19 anos, foi preso.

O caso está sendo investigado pela equipe da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP). O delegado George Marques informou que a vítima recebeu uma punição por ter desobedecido a uma ordem imposta pelos “faccionados” daquela localidade. A vítima teria furtado cadeiras de uma residência de uma senhora.

Ainda segundo o delegado, no dia do crime, a vítima participou de uma festa em uma casa, localizada em Paço do Lumiar, onde levou dois tiros nas duas pernas e ao tentar fugir levou outros disparos. O corpo dele foi encontrado em uma área de matagal, localizada na Avenida 1, da La Belle Park. A polícia foi acionada e prendeu um dos acusados, Davi Sousa.

Mais casos

Na sexta-feira, 12, ocorreu o sepultamento do corpo da adolescente Clara Alice, de 13 anos, no cemitério da cidade de Senador Alexandre Costa. O delegado regional de Presidente Dutra, César Ferro, declarou que o irmão da vítima, de 14 anos, teria efetuado um tiro acidental de espingarda do tipo bate-bucha em Clara Alice, na tarde de quinta-feira, 11.

A menor foi levada para o hospital de Presidente Dutra, mas morreu durante o período da noite. O adolescente de 14 anos, até a tarde de sexta-feira, 12, não havia sido ouvido pela polícia, segundo o delegado, por estar em estado de choque.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.