Estado Maior

Fé e obra

  •  

0
Fé e obra

Tiago, irmão de Jesus, escreveu apenas uma epístola. Nela, foi dito que a fé sem obras é morta em si mesma (Tg 2.17). Vejam, então, que a fé precisa estar acompanhada de obras para se mostrar legítima, o que significa dizer que a fé sozinha é questionável.
O governador Flávio Dino, mesmo pertencendo ao mundo comunista, que é ateu por excelência, deve saber pelo menos na teoria dessas sábias palavras de Tiago sobre a conexão da fé com as obras. Como então os cidadãos maranhenses podem botar fé - como se diz no popular - e assim acreditar num governo que se apossa de obras alheias? A fé, como já visto, precisa necessariamente de obras legítimas, que é o que o governador demonstra não ter.
Flávio Dino, caminhando para a reta final do seu governo, não fez até agora uma obra sequer que possa ser considerada sua, livre de interesses políticos ou vislumbres de poder. Logo, ele não pode querer, tampouco exigir, que a população maranhense acredite no seu “governo da mudança”. Talvez seja bem por isso que o governador comunista envidou esforços para tentar passar a imagem de que a duplicação da BR-135, no trecho entre Estiva e Bacabeira, teria algo a ver com a sua gestão. Só que não.
Essa duplicação é simplesmente uma obra do Governo Federal, fomentada pela bancada do Maranhão no Congresso Nacional e idealizada, desde o princípio, pela ex-governadora Roseana Sarney. Flávio Dino, enfim, nada tem a ver com essa obra. E quanto a ela a sua única contribuição foi tentar remanejar os recursos da emenda da bancada federal para outra área.
Não se pode ter dúvida de que o governador precisa fazer algo pelo Maranhão nos próximos nove meses, quando então, as eleições baterão na sua porta, sob pena de a população continuar a não botar a menor fé naquele que não tem obras a mostrar.

Recuou
O presidente do Procon-MA não aguentou a saraivada de críticas recebidas diante do seu lamentável comportamento no evento de entrega da duplicação da BR-135, na quinta-feira, 11.
Em entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM, ele chegou a sustentar que agiu corretamente - quando, da plateia, xingou o deputado Hildo Rocha, que discursava.
Mas, pressionado por uma série de perguntas formuladas pelo jornalista Jorge Aragão, acabou recuando e dizendo que não agiria assim hoje.

Encontro
A ex-governadora Roseana Sarney recebeu na sexta-feira, 11, centenas de prefeitos, ex-prefeitos, lideranças, artistas e populares na casa do ex-presidente José Sarney, em São Luís.
Os visitantes eram membros de grupos de criados em torno da pré-candidatura de Roseana ao governo.
Eles decidiram ir até a casa da família da ex-governadora após repercussão negativa dos barracos do governador Flávio Dino (PCdoB) durante a entrega da duplicação da BR-135.

Barracos
Por falar em barracos, o de ontem não foi o primeiro em que se envolveu o governador Flávio Dino (PCdoB) desde que chegou ao poder.
Em 2015, ele proibiu a então prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (Podemos), de discursar em um evento em sua própria cidade.
Já em 2017, em Imperatriz, tomou o microfone das mãos de um pastor evangélico para falar em um evento religioso.

Doutor, sim, senhor
Uma portaria assinada pelo presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA), Patrick Jonathan Costa Gomes, causou polêmica.
Ele decretou que servidores e colaboradores do Coren-MA devem se dirigir a qualquer enfermeiro que ingressar nas dependências da entidade utilizando o termo “doutor”.
- A ideia geral é garantir o empoderamento para a classe - justifica. Como se um papel tivesse esse poder.

Visita
O corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho, reuniu-se na quinta-feira, 11, com representantes da Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA).
Na ocasião, os magistrados apresentaram as principais demandas da magistratura de 1º Grau tendo em vista a melhoria da prestação jurisdicional no Estado.
Marcelo Carvalho afirmou o total apoio à classe. “Nós sabemos das dificuldades que os juízes enfrentam hoje para levar adiante a função jurisdicional”, disse.

Desconforto
Os ministros Moreira Franco e Maurício Quintella ficaram visivelmente constrangidos com a falta de educação apresentada por auxiliares do governador Flávio Dino.
Também se mostraram incomodados com discurso do comunista, que sugeriu comportamento descortês do parlamentar Hildo Rocha.
Ao tomar o microfone, Quintella fez questão de destacar o empenho do deputado Hildo Rocha e da bancada maranhense. Dino não curtiu.

DE OLHO

91,6% é o total de rodovias sob responsabilidade do governo Flávio Dino avaliadas com conceito “ruim” ou “péssimo” pela última pesquisa CNT/Rodovias.

E MAIS

• Às vésperas do Carnaval 2018, grupos culturais do Maranhão denunciam que até hoje não receberam do Governo do Estado pagamento do cachê referente ao São João do ano passado.

• Membros do PT seguem tentando pressionar o governador Flávio Dino (PCdoB) a dar mais importância ao partido nas discussões sobre as eleições deste ano.

• Militantes partidários levados de ônibus para a inauguração de obra na BR-135 montaram a claque do governador Flávio Dino.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior