Investigação

Identificada suspeita da morte de dançarina, em SC

  •  
  •  

Corpo da maranhense, morta no dia 4, chegou na quarta-feira e foi sepultada ontem em São Luís

0
Braieny Alves Soares, sepultada ontem em São Luís
Braieny Alves Soares, sepultada ontem em São Luís (Foto: Divulgação)

Florianópolis - A polícia catarinense depois de uma semana do assassinato da maranhense Braieny Alves Soares, de 20 anos, até ontem não havia conseguido prender as principais acusadas desse crime, apesar de uma delas já ter sido identificada. O seu nome não foi revelado. A vítima estava há menos de um mês morando em Florianópolis, capital de Santa Catarina, onde trabalhava como dançarina. No último dia 4 ela foi assassinada a tiros em pleno centro da cidade.

“Os policiais não estão fornecendo nenhuma informação sobre a morte da minha irmã. Ela foi morta e ainda teve objetos de valor como cordão e pulseira de ouro roubados”, desabafou a irmã da vítima, Milena Costa, de 17 anos. Ela também declarou que o corpo da vítima somente foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) de Santa Catarina na tarde de quarta-feira, 10, e chegou à capital maranhense na madrugada de ontem.

O corpo foi velado no salão de uma igreja evangélica, no bairro do São Bernardo, e no fim da tarde ontem ocorreu o sepultamento no cemitério Jardim da Paz, na Estrada de Ribamar. “Queremos saber de fato o que ocorreu na capital catarinense e que os verdadeiros culpados possam pagar pelo que fizeram de cruel para a minha irmã, mas a polícia não deu nenhuma informação sobre o caso para a família”, disse Milena Costa.

A polícia de Santa Catarina informou que o caso está sendo investigado e uma das suspeitas já teria sido identificada e que já teve a sua prisão solicitada ao Poder Judiciário. O crime ocorreu no decorrer da noite do último dia 4, nas proximidades de uma casa noturna, localizada na Rua Major José Augusto de Farias, no centro da capital catarinense.

Nesse local, a vítima teria sido abordada por duas mulheres não identificadas. A jovem primeiramente teve uma conversa com as suspeitas e, logo depois foi baleada. Braieny Alves morreu ainda no local e as suspeitas fugiram em um automóvel de marca e placas não identificadas. O corpo da vítima foi removido para o IML dessa cidade.

Frase

“Os policiais não estão fornecendo nenhuma informação sobre a morte da minha irmã. Ela foi morta e ainda teve objetos de valor como cordão e pulseira de ouro roubados”.

Milena Costa, irmã da vítima

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.