Requalificação

Blitz Urbana retira pontos comerciais no Anel Viário

  •  

No local, será construída uma praça, que abrangerá desde o Mercado do Peixe até a área desocupada, com bancos, iluminação e segurança

0
Equipe de operações da Blitz derruba parede de lava-jato que funcionava irregularmente no Anel Viário
Equipe de operações da Blitz derruba parede de lava-jato que funcionava irregularmente no Anel Viário (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Dois pontos comerciais em situação irregular, que funcionavam no Anel Viário, foram retirados, na manhã de ontem, pelo grupo de operações da Blitz Urbana, com o apoio do Grupo Tático Urbano (GTU), e Polícia Militar. Entre os estabelecimentos retirados estavam um lava-jato e a Casa do Coco.

Segundo o superintendente da Blitz Urbana, Joaquim Azambuja Sousa filho, desde novembro do ano passado os comerciantes fo­ram avisados sobre a desocupação dos locais. "Depois de alguns meses de aviso, faltando apenas 20 dias para a retirada, nós voltamos ao local para reforçar sobre a operação, e quando chegamos hoje pela manhã os donos dos estabelecimentos já haviam retido os materiais utilizados para o trabalho", explicou.

Durante a retirada, os ocupantes tomaram telhas e portas de ferro para reaproveitamento. Pessoas com estabelecimentos no local disseram ser a favor da obra, visto que o local tem gerado mui­ta insegurança e perigo.

Insegurança

Vendedores, como Iranilde de Jesus Sousa Carvalho, proprietária de um trailer, que se sente desprotegida com a violência presenciada, conta que na área, principalmente à noite, ocorrem roubos, mortes e prostituição. "Aqui não fica ninguém. O perigo é muito grande. Nós fechamos cedo”, disse Iranilde de Jesus.

Os comerciantes reclamam que o policiamento no local é escasso, e que, mesmo pedindo, não recebem suporte necessário.

Sobre a obra

A desocupação do Anel Viário se dá por causa de uma obra que se­rá feita pela Prefeitura de São Luís. Segundo o responsável pela obra, Fabio Henrique Carvalho, no local será construída uma praça, que abrangerá desde o Mercado do Peixe até o local desocupado.

No local, haverá iluminação de qualidade para os visitantes do local, bancos para a população descansar, além de segurança. Fabio Henrique Carvalho disse ainda que os locais onde existam barracas com telhado de palha não sairão. Porém, terão sua estrutura revitalizada.

VEJA:

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.