Moda

Grife maranhense é destaque durante o Paris Fashion Week

  •  

Lisyane Arize, baiana radicada em São Luís e criadora da grife LIZZI Couture, foi destaque da Tiffany’s Fashion Week Paris 2017 com o prêmio de estilista revelação na oitava temporada; haverá desfile hoje, em São Luís

0
Modelos desfilam criações da grife franco-brasileira em Paris
Modelos desfilam criações da grife franco-brasileira em Paris (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Os franceses deixaram sua marca registrada na nossa história, mas neste ano quem faz história na França é o Maranhão. Lisyane Arize, criadora da grife franco-brasileira LIZZI Couture, foi destaque na cidade-luz em outubro ao levar o prêmio de estilista revelação na oitava temporada da Tiffany’s Fashion Week Paris 2017, evento que reúne jovens estilistas de vários países durante a Semana de Moda de Paris. Nesta quinta, 7, é a vez de São Luís receber a coleção, às 18h, no Convento das Mercês, em um desfile que ocorrerá durante o 1º Fórum Rede São Luís de Pontos de Cultura.


E é diretamente da Ilha do Amor que o “savoir-faire”, o saber-fazer tradicional das bordadeiras e costureiras maranhenses de grupos de bumba meu boi decolam para as passarelas do mundo, através da coleção “Le deuxième sexe - Au pays du coup d’êtat” (O segundo sexo - No país do golpe de estado). Um discurso potente concedeu destaque à LIZZI entre concorrentes de lugares como Chile, Dubai, Inglaterra, França, Eslováquia e Estados Unidos, no luxuoso hotel Shangri-la Eiffel Tower Palace (um dos cinco palácios de Paris, e único com uma sala original de Versailles).

“A busca, em sua essência, é por questionamentos sobre o papel da mulher na sociedade e na atualidade política do Brasil”, revela Lisyane, que pontuou fortemente em sua criação a crise política e o cenário de desigualdade de gênero vivido no Brasil.

A coleção, inspirada no livro “Le Deuxième Sexe” (“O Segundo Sexo), de Simone de Beauvoir, lançou mão de elementos como a indumentária dos lansquenets (mercenários do século XVI) e o tailleur (conjunto saia e paletó) como crítica ao poder masculino e objetos de fetiche que trazem a submissão feminina. “Pensar a moda além do propósito de objetificação do corpo e futilidade do consumo é o que a coleção ‘Le Deuxième Sexe’ leva à passarela, um papel de comunicação social”, completa a estilista.

LIZZI não apenas levou o troféu Tiffany feito em cristal legítimo, como também recebeu atenção da mídia internacional, com matérias nos veículos Luxe TV, Vanity Fair e Glam Magazine, além de ganhar um ensaio no Museu do Louvre para a Tiffany’s Magazine e um convite para a próxima temporada, em Dubai.

Pensar a moda além do propósito de objetificação do corpo e futilidade do consumo é o que a coleção ‘Le Deuxième Sexe” leva à passarela, um papel de comunicação social" Lisyane Arize, estilista

Sobre a Lizzi
Foi desbravando o Norte e o Nordeste do Brasil em uma busca visionária que a baiana e feminista assumida Lisyane Arize chegou a São Luís, instalando-se na cidade após a graduação em Estilismo no Rio de Janeiro. Contudo, somente quando partiu para especializar-se em alta-costura na França que surgiu a marca de prêt-à-porter de luxo LIZZI.


De volta a São Luís, Lisyane estabeleceu um polo produtivo que funciona como um ponto de cultura, lançando peças numeradas em edição limitada, distribuídas nas cidades de Fortaleza, Rio de Janeiro, em mais de 20 pontos na França e pelo site LizziLizzi.com. A estilista ganhou destaque na mídia local por suas coleções conceituais, críticas e por utilizar os conhecimentos tradicionais do bordado do bumba meu boi em suas peças. Até o final do ano, a estilista planeja lançar um espaço para atendimento exclusivo em São Luís.

SERVIÇO

O que: Desfile da coleção franco-brasileira “Le deuxième sexe - Au pays du coup d’êtat”


Quando: Quinta-feira, 7, às 18h30

Onde: Convento das Mercês (Rua da Palma, 502 - Desterro)

Quanto: Entrada franca


Outras informações: (98) 98161-8395

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.