Perigo

Insegurança assusta moradores e empresários na Rua Paulo Frontin

  •  

Criminosos praticam assaltos a qualquer hora do dia na via do Monte Castelo; estabelecimento comercial foi arrombado duas vezes seguidas; moradores e comerciantes reclamam da falta de policiamento eficaz na área

0
Insegurança assusta moradores e empresários na Rua Paulo Frontin
Faca deixada por bandidos e espaço que foi roubado na via (Foto: Diego Chaves / O Estado)

Os constantes casos de violência na Rua Paulo Frontin, no Monte Castelo, em São Luís, estão causando preocupação a moradores e proprietários de estabelecimentos comerciais. Vítimas de assaltos e arrombamentos, eles alegam falta de policiamento eficiente na área.

Alvo de dois arrombamentos consecutivos, um imóvel - onde funciona um consultório e uma livraria religiosa - acumula prejuízos. Criminosos quebraram as portas do espaço, roubaram notebook, um televisor, R$ 217,00 e outros objetos. As investidas ocorreram durante as madrugadas de quinta-feira, 30, e sexta-feira, 1°. Os indivíduos ainda deixaram uma faca e dois pedaços de ferro, que foram utilizados para danificar as grades. O estabelecimento possui alarme de segurança, que foi desativado.

“Não existe policiamento aqui. Nem o alarme de segurança intimidou esses assaltantes. Fiz um Boletim de Ocorrência na Delegacia do João Paulo e espero que tudo seja resolvido”, disse a proprietária e médica clínica geral Maria do Socorro Macedo Cardoso. Prestador de serviço no estabelecimento, Raimundo Oliveira Pereira, de 77 anos, foi surpreendido quando chegou no local. “Estava tudo revirado. É muito desastroso. Estou com receio. Eles não respeitam ninguém”, explicou Pereira.

Assaltos
Por ser uma importante via de acesso que liga, em linha reta, as avenidas Getúlio Vargas, no Monte Castelo, e Kennedy, no Bairro de Fátima, a extensa Rua Paulo Frontin tem intenso fluxo de veículos e pedestres. “Minha filha foi assaltada duas vezes nessa rua. Um rapaz em uma moto levou um celular que ela tinha acabado de comprar. Passo por aqui todos os dias e ando com medo de ser assaltada. O policiamento é péssimo”, relatou a dona de casa Nilza Fernandes, de 55 anos.

Empresária de uma loja de produtos e artigos de festas, Neldeci Carreiro, de 52 anos, presenciou quatro assaltos na Paulo Frontin. “Duas clientes minhas foram assaltadas em frente à loja. Graças a Deus os assaltantes não entraram porque a porta fica sempre trancada. Os clientes acionam o interfone e venho abrir. Pagamos impostos. Somos sugados até demais e não temos segurança. A violência está piorando a cada dia”, ressaltou.

Aparelho de TV foi levado em uma das ações criminosas (Foto: Diego Chaves / O Estado)

“Perdi as contas de quantas vezes a padaria foi assaltada. Às vezes fico receosa de abrir o estabelecimento muito cedo, aí não abro a grade toda. Eles levam todo o dinheiro do caixa. Colocam o revólver no nosso rosto e vamos fazer o quê?”, indagou a proprietária de uma padaria na Rua Paulo Frontin Juliana Costa, de 54 anos.

Sobre as reivindicações da população acerca da falta de policiamento, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA), por meio do 9º BPM, informou, em nota, que desenvolve diariamente trabalhos preventivos em viaturas e motocicletas nas ruas do bairro Monte Castelo, com abordagens a pedestres e veículos suspeitos. A SSP-MA ressaltou que, em caso de situações suspeitas, os moradores podem acionar a Polícia Militar (PM) através do telefone 190.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.