Perseguição

Prefeito volta a denunciar perseguição de Flávio Dino a São Pedro dos Crentes

  •  
  •  

Lahesio Rodrigues afirmou que Dino age para tentar o intimidar

0
Prefeito de São Pedro dos Crentes
Prefeito de São Pedro dos Crentes (Foto: De Jesus / O ESTADO)

O prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahésio Rodrigues (PSDB), voltou a denunciar abusos e perseguição feitos pelo governo de Flávio Dino (PCdoB). Em mais um vídeo postado em redes sociais, o gestor reclama de corte em convênios que já estavam em execução e também de pressão feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para esclarecimentos quanto ao dinheiro público aplicado na área de Segurança Pública.

No vídeo, Lahésio Rodrigues revela uma prática comum nos municípios do interior maranhense que é a contribuição de prefeituras com as polícias militar e civil.

Segundo o gestor, a Prefeitura de São Pedro dos Crentes paga a alimentação dos policiais militares que trabalham na cidade e também paga pelo abastecimento de viaturas.

Além disso, a delegacia da cidade funciona em prédio alugado pela Prefeitura.

"Recebo cobrança do TCE querendo saber os gastos do município com a remuneração de policiais. Eu nunca contribui com a remuneração dos policiais. Eu alimento os policiais de Flávio Dino. Eu vou comprovar as despesas com carros desse governador. Vou provar despesas com peças de viaturas e com o aluguel do prédio onde funciona a delegacia", disse o gestor.

Para o prefeito, a fiscalização do TCE é mais uma forma de intimidação do governo comunista.

"Não adianta pressionar que o senhor não vai me derrubar, senhor Flávio Dino", disse Rodrigues.

Além do dinheiro que a prefeitura investe para garantir o mínimo de aparato policial na cidade, Lahésio Rodrigues reclama da perseguição política de Flávio Dino com sua gestão.

Segundo Rodrigues, pelo menos três convênios firmados antes de 2015, na gestão passada, foram suspensos por determinação de Flávio Dino. No vídeo, o prefeito fala do convênio para a construção do estádio municipal, outra para a construção de casas populares e um convênio para a construção de escola municipal além de verba voluntária para estradas vicinais.

O convênio para construção do estádio, por exemplo, do total foi repassado somente 30%. Os restante foi suspenso após Dino assumir o governo.

No caso do convênio para a construção da escola municipal, a obra foi toda concluída, mas o dinheiro não foi repassado pelo governo do estado a empresa contratada.

"O governo, depois de dois anos da escola funcionando, ainda deve mais de R$ 100 mil para a empresa que fez a obra" relatou o gestor.

No caso do convênio para as casas populares, segundo afirma o prefeito, faltaram ser concluídas somente 21 casas e não foram porque o governo de Flávio Dino suspendeu a verba.

E, ainda segundo conta Lahésio Rodrigues, além de suspender os recursos, o governo comunista está enviando intimações a Prefeitura de São Pedro dos Crentes para que a prestação de contas dos convênios suspensos sejam feitas.

"Três anos depois de assumir o governo, Flávio Dino resolveu cobrar a prestação dos convênios que ele cortou e Roseana deixou para a cidade", afirmou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.