Saúde

HU-UFMA promove ação educativa sobre o diabetes

  •  

Atividades foram realizadas ontem, 14, na Praça Deodoro e no Hospital Universitário para alertar a população sobre a doença; programação segue na quinta e sexta-feira

0
Grupo de pessoas participou das ações realizadas ontem na Praça Deodoro
Grupo de pessoas participou das ações realizadas ontem na Praça Deodoro (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - O Hospital Universitário da UFMA (HU-UFMA), por meio da Unidade do Sistema Endócrino, iniciou ontem 14, uma ação educativa para alertar a população sobre o diabetes, doença que está aumentando mundialmente, atingindo crianças, jovens e idosos de todas as classes sociais. A data escolhida para iniciar as atividades de conscientização é celebrada oficialmente como o Dia Mundial do Diabetes.

O tema deste ano é “Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável”. Serão desenvolvidas diversas ações distribuídas em três locais: Praça Deodoro (voltada para toda a população), ambulatório de Endocrinologia e Unidade Materno Infantil (voltada para colaboradores e pacientes). “A mobilização será feita por meio de palestras educativas, exibição de vídeo explicativo, aferição de glicemia capilar e distribuição de folders”, explica a enfermeira Vivian Brito.

O objetivo da ação é aumentar a conscientização dos sinais de alerta do diabetes, promovendo ações para incentivar o diagnóstico precoce, a redução dos principais fatores de risco, entre outros. A doença é caracterizada pelo excesso de glicose no sangue, surgindo quando há redução ou deficiência na produção do hormônio insulina pelo pâncreas.

Para dona Maria José Mendonça, de 65 anos, diabética, essa foi a oportunidade para se policiar quanto a alimentação. “Hoje eu vim aqui pra saber como está minha diabete e saber dos médicos o que eu posso comer, para evitar ter problemas”, disse.

Já dona Maria Raimunda Amorim Silva, de 80 anos, que esteve nas atividades na Praça Deodoro, considera importante ficar sempre atento a problemas de saúde. “Depois que eu tive zika, comecei a me tratar e procurar fazer exames direto para ficar sempre bem”, contou.

Carlos José Melo, de 59 anos, que também é diabético, segue o mesmo pensamento. “Sempre que temos a oportunidade é importante que façamos uma visita ao médico. Nós levamos uma vida tão corrida que não valerá a pena se não tivermos saúde”, concluiu.

Mais de 360 milhões pessoas no mundo sofrem de diabetes. Até 2035, a Federação Internacional de Diabetes (IDF) estima que 471 milhões em todo o mundo terão a doença. Somente no Brasil, estima-se que existam mais de 13 milhões com o problema.

A programação segue também nos dias 16 ( quinta) e 17 ( sexta) no hall do ambulatório de endocrinologia do HU-UFMA no momento em que as pessoas estiverem aguardando o atendimento. O ambulatório fica localizado na Rua das Hortas, 239, Centro.

A doença vem crescendo muito pelo próprio estilo de vida moderno, com o sedentarismo, obesidade e má alimentação. As pessoas que estão com a doença mal controlada podem apresentar complicações como enfartes (ataque cardíaco), insuficiência renal, cegueira e úlceras nos pés que podem levar a amputações. Muitas complicações e mortes prematuras podem ser prevenidas com alimentação controlada, atividades físicas e medicamentos.

Mais

Programação do evento:

Dia 16/11 – Quinta- feira

Local: Ambulatório de Endocrinologia

08h às 11h - Palestras, exposição de vídeo educativo, distribuição de folhetos explicativos

13h às 16h - Palestras, exposição de vídeo educativo, distribuição de folhetos explicativos

Dia 17/11 – Sexta-feira

Local: Ambulatório de Endocrinologia

08h às 11h - Palestras, exposição de vídeo educativo, distribuição de folhetos explicativos

13h às 16h - Palestras, exposição de vídeo educativo, distribuição de folhetos explicativos com informações da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.