Estado Maior

Barbárie e covardia

  •  

0
Barbárie e covardia

Pilhado em grave escândalo no setor de segurança pública - a revelação de uma jaula a céu aberto, em Barra do Corda, que levou à morte de um empresário detido por infração no trânsito - o governador Flávio Dino (PCdoB), mais uma vez, utiliza-se de um argumento pífio para tentar esconder a incapacidade do seu governo de dar respostas claras à sociedade. Ele tenta responsabilizar o governo passado pela gaiola humana, como se não estivesse há três anos no comando do estado.
Não é de hoje a incapacidade gerencial do governo comunista no setor de Segurança Pública. Saíram da pasta comandada pelo delegado Jefferson Portela - que ascendeu ao posto por causa de sua militância de guerrilha na campanha do PCdoB, em 2014 - alguns dos mais graves escândalos de brutalidade, bestialidade e barbárie social registrados no Maranhão desde 2015.
Quem não se lembra, por exemplo, da execução do mecânico Irialdo Batalha, morto em praça pública por um vigilante que fazia as vezes de policial militar, em Vitória do Mearim, em maio de 2015, com a anuência dos próprios PMs?
Qualquer que seja a justificativa de Flávio Dino para a cela pública em Barra do Corda, ele não tem desculpas para a barbárie mostrada em âmbito nacional, digna das piores imagens exibidas pelos fundamentalistas do Estado Islâmico. E não adianta culpar terceiros pela própria incapacidade.

Despreparado
Quem tem feito força para que Flávio Dino substitua o secretário de Segurança, Jefferson Portela, é o todo-poderoso Márcio Jerry.
Desde o início do governo, Jerry deixa claro ao governador que Portela não está preparado para o posto que ocupa - e que ganhou graças à militância eleitoral no PCdoB.
O principal auxiliar do governo comunista atribui à má-gestão de Portela escândalos como o da jaula a céu aberto de Barra do Corda e a execução do mecânico Irialdo Batalha, em Arari, entre outros casos.

Candidatos
Tendo ou não razão na analise profissional de Jefferson Portela, a pressão de Márcio Jerry tem como pano de fundo também as eleições de 2018.
Candidato a deputado federal, o principal auxiliar de Flávio Dino tem no chefe da Segurança Pública um dos seus principais adversários pelas vagas do PCdoB.
E tem trabalhado nos bastidores para inviabilizar o desafeto.

Crise na bancada
“É gravíssima”, na expressão de um dos próprios membros, a crise na bancada federal maranhense, por conta de emendas parlamentares.
Alguns tentam jogar panos quentes, mas outros soltam o verbo, acusando colegas de manipulação de emendas e até desvio de recursos dessas emendas.
Uma reunião convocada para a próxima terça-feira, 17, tentará encontrar uma solução para o bate-boca virtual, que se espalhou pela mídia.

Quem vazou?
Apenas oito dos 21 parlamentares do Maranhão estão livres da lista de suspeitos de vazamento da crise na bancada maranhense.
Os senadores Edison Lobão e João Alberto não fazem parte do grupo de WhatsApp; o deputado federal Waldir Maranhão pediu para sair e a colega Eliziane Gama está em lua de mel.
Além deles, os quatro parlamentares envolvidos na história - Hildo Rocha, Rubens Pereira Júnior, Andre Fufuca e Juscelino Filho - não iriam jogar contra eles próprios.

Ferry-boat
O deputado Zé Inácio (PT) cobrou da Agência de Mobilidade Urbana (MOB) providências no Terminal de Ferry-boat da Ponta da Espera-Cujupe.
Acompanhado de membros da Comissão de Transporte da Assembleia, ele vistoriou as obras e constatou problemas no transporte de passageiros, cargas e veículos.
A comissão vai oficializar a MOB cobrando conclusão do processo de licitação para melhorar as condições do serviço.

Trânsito
A Frente Parlamentar de Defesa da Vida no trânsito defendeu, em audiência pública, a municipalização do setor.
Durante o evento, o deputado César Pires (PEN) apresentou projetos de lei que visam melhorar a vida no trânsito.
Diretor da Cemar, o ex-deputado José Jorge também mostrou ações bem-sucedidas da companhia para proteger seus funcionários no trânsito maranhense.

DE OLHO
R$ 62,8 milhões foram deixados em caixa pelo governo Roseana para construção de presídios no governo Flávio Dino, que optou por deixar presos em jaula a céu aberto.

E MAIS

• Os vereadores Marcial Lima, Raimundo Penha, Honorato Fernandes, Beto Castro e Pedro Lucas Fernandes mantêm o projeto de disputar as eleições de 2018.

• O sucesso do Sampaio Correa na Série C do Brasileiro empolgou o deputado estadual Sérgio Frota a redesenhar seu projeto eleitoral para o ano que vem.

• A defesa de uma eventual candidatura de Edivaldo Júnior a vice de Flávio Dino põe o prefeito em rota de colisão com o projeto do presidente do seu partido, Weverton Rocha.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior