Estado Maior

Momento novo

  •  

0
Momento novo

As mudanças nas regras eleitorais em 2018 terão desfechos inusitados para candidatos a deputados estaduais e federais. O “Distritão”, que garante a eleição apenas dos mais votados, independentemente do partido ou coligação, impede, por exemplo, que parlamentares sejam eleitos com poucos votos, carregados pelos chamados puxadores de voto.
Para se ter uma ideia do impacto da mudança, se a regra tivesse sido posta em prática em 2016, quatro dos atuais vereadores de São Luís - Edson Gaguinho (PHS), Genival Alves (PRTB), Cézar Bombeiro (PSD) e Silvino Abreu (PRTB) - não teriam sido eleitos.
Com o “Distritão”, esses quatro perderiam o lugar para Pastor Paulo Luiz (PRB), Sebastião Albuquerque (PRP), Paulo Victor (PROS) e Armando Costa (PSDC), bem mais votados.
Outro impacto do “Distritão” em 2018 será na formação de alianças e coligações. Já se especula, por exemplo, que o secretário de Articulação Política, Márcio Jerry, pode até deixar de ser candidato, para evitar suplência a adversários. É que Jerry seria candidato para puxar votos e formar uma bancada de suplentes do seu partido, o PCdoB, voltando à secretaria, em caso de reeleição de Flávio Dino, garantindo mais um deputado governista. Com a nova regra, ele não tem garantia de que seu suplente seja um aliado. E tudo pode mudar.

Jatinhos
O Rio de Janeiro quase vem abaixo quando se descobriu que o governador Pezão fechou licitação para contratação de jatinhos, por R$ 2,5 milhões.
E o valor carioca é quase três vezes menor que o acordado pelo governo Flávio Dino (PCdoB).
O comunista maranhense conseguiu, mesmo num momento de crise por que passa o país, elevar em quase 50% o valor do aluguel de jatinhos.

Quase êxtase
Os aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) geraram uma festa midiática despropositada para o encontro do comunista com o ministro Sarney Filho (PV), em Coroatá.
A reunião de trabalho foi vista pelos sarneysistas como algo tão natural que sequer mereceu qualquer tipo de nota ou especulação.
Mas, para os dinistas, pareceu algo que eles aguardavam ou sonhavam ansiosamente.

Esgoto zero
O governo comunista tem anunciado há dois anos que aumentou de 4% para 40% o total de esgoto tratado em São Luís.
Com o relatório de técnicos da própria Caema, já em poder até do Ministério Público, descobriu-se que Flávio Dino fez foi reduzir a zero a taxa de tratamento de esgoto.
De acordo com o documento, nenhuma das estações de tratamento no atual governo dispõe de Casa de Ozônio, equipamento indispensável no tratamento do esgoto.

Aliciamento
O governador Flávio Dino tem acenado com espaços no governo para tentar cooptar o PP maranhense, hoje sob o comando do deputado federal André Fufuca.
Mas o parlamentar ainda aguarda definição nacional da legenda, que tende a seguir outros rumos na eleição presidencial.
O principal interlocutor de Dino no PP era o também deputado federal Waldir Maranhão, que já não tem espaços com a cúpula partidária.

Pesquisas
A ex-governadora Roseana Sarney já tomou conhecimento dos novos números sobre a corrida eleitoral levantados na região Leste do Maranhão.
Ela se impressionou com o fato de que o governador Flávio Dino tem fraco desempenho até em cidades onde o prefeito, geralmente comunista, faz campanha noite e dia.
Segundo apurou a coluna, dos 10 municípios pesquisados na região, apenas em Santa Filomena Dino consegue dianteira sobre Roseana.

Explicado
Durante muito tempo, o Instituto Exata sempre surgia com pesquisas favoráveis ao governo Flávio Dino logo que outro instituto apresentava números diferentes.
Agora, já se sabe por que a empresa dispunha de dados tão rápidos para agradar ao Palácio dos Leões.
É que, pelo contrato com o governo, a Exata tem que sublocar os levantamentos ao notório instituto DataM, que já foi até proibido de pesquisar por fraude eleitoral.

Direita, volver!
O coronel do Exército Monteiro Segundo deve ser o candidato a governador do partido de Jair Bolsonaro no Maranhão.
Bolsonaro, aliás, tem recebido adesão de gente conhecido nos meios políticos pelo ativismo de direita.
Um dos próceres de sua campanha é ninguém menos que o médico Alan Garcêz, que muito protesto liderou contra o governo Dilma e a favor do impeachment.

E MAIS

• A grande curiosidade em relação ao Palácio dos Leões é que seus chefões insistem em não acreditar nos números das pesquisas.

• A Polícia Federal não desistiu de investigar o deputado federal José Reinaldo Tavares na Lava Jato, e pediu mais prazo à Justiça.

• A direção do Procon-MA insiste em dizer que o concurso público do órgão já estava planejado desde 2016.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior