Estado Maior

Personagem misterioso

  •  

0
Personagem misterioso

Continua envolta em uma espessa nuvem de mistério a vida do advogado Willer Thomaz, preso na mesma operação que desbaratou o esquema revelado pelos donos da empresa JBS.
Thomaz foi preso em São Luís, onde estava para, segundo as investigações, consolidar o fechamento da compra da TV Difusora por um grupo vinculado ao governador Flávio Dino (PCdoB) e ao deputado federal Weverton Rocha (PDT).
Mesmo preso, porém, a vida do advogado radicado em Brasília mantém o mistério, sobretudo pelo grau de relacionamento que ele demonstra ter com figurões importantes da política e da justiça brasileiras.
Em sua estada nas carceragens da Polícia Federal, em Brasília, Willer Thomaz já recebeu a visita de Weverton Rocha, de governadores e deputados federais. E confirmou-se também a proximidade dele com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.
A prisão de Willer Thomaz foi motivada pelo fato de ele manter estreitas relações com um procurador federal que compunha a força-tarefa e repassava informações privilegiadas ao advogado. Este procurador – também preso na operação da PF – era auxiliar no TSE do sub-procurador-geral Nicolao Dino, que é irmão do governador Flávio Dino.
A presença do advogado em São Luís no dia de sua prisão, a relação com Weverton Rocha, a proximidade com um auxiliar do irmão do governador reforça o mistério em torno de si. Mistério que deve continuar.

Em campanha
O governador Flávio Dino voltou a circular pelo interior do estado neste fim de semana.
Ele foi à Região Tocantina, onde não consegue ter o apoio consistente do eleitorado.
Em Imperatriz, por exemplo, o governador tem enfrentado rejeição substancial desde o início do governo.

Composição
O senador Roberto Rocha não gosta, mas são os próprios aliados do governo Flávio Dino (PCdoB) que contam de suas sondagens para 2018.
Segundo essas versões, Rocha abriria mão da candidatura ao governo se Dino aceitasse a indicação do seu filho, Roberto Júnior, como companheiro de chapa.
O senador fica muito irritado com essa especulação, mas não demonstra gestos que mostrem o contrário.

Conjuntura I
Político experiente, com vários mandatos de deputado federal e estadual, o escritor Joaquim Haickel fez análise do momento político no Maranhão.
Para ele, apenas Flávio Dino tem algo a perder se a ex-governadora Roseana Sarney for candidata a governadora.
- Caso ela seja candidata, o cenário ficará bastante movimentado – avalia o ex-parlamentar.

Conjuntura II
Em artigo publicado em O Estado, Haickel faz um retrospecto, inclusive, das eleições de 2014, vencida por Flávio Dino.
Para ele, se Roseana tivesse sido candidata a senadora, seria eleita e estaria hoje em posição bem mais favorável.
O artigo do ex-deputado é uma análise de conjuntura do atual momento político maranhense.

Atrelado
Há quem diga que o ex-prefeito Sebastião Madeira sonhe com a candidatura do prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, a governador, pelo PSDB.
Madeira sequer cogita esta possibilidade, porém, por ter conhecimento pessoal do atrelamento de Luis Fernando ao governador Flávio Dino (PCdoB).
E tudo o que o ex-prefeito de Imperatriz quer é distância do governo comunista, coisa que o colega de Ribamar se treme todo à menor cogitação.

Rejulgamento
A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça marcou para a próxima quinta-feira, 22, o novo julgamento do caso envolvendo Sebastião Madeira.
O primeiro julgamento, que decretou a inelegibilidade do ex-prefeito, foi anulado sob a alegação de cerceamento de defesa.
Para o novo julgamento, a defesa se mostra disposta a contra-atacar.

Obscuridade
A ex-deputada federal e ex-secretária adjunta da Saúde Rosângela Curado (PDT) também aparece nos relatórios da Polícia Federal sobre o Idac.
A demissão de Curado da pasta, inclusive, foi um episódio obscuro do início do governo Flávio Dino.
Até hoje, nem ela nem o governo explicam o que aconteceu naquela época.


E MAIS

• Após três meses sem fiscalização, as avenidas de São Luís voltarão a ter controle eletrônico de velocidade a partir de agosto.

• Depois de passar por PCdoB, PP, PV e PMB, a ex-vereadora Rose Sales declara-se absolutamente em casa no PMN.

• O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, volta a cogitar candidatura ao Governo do Estado, mas mantém-se filiado ao PCdoB.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior