Esporte

Copa Confederações é um presente que nos ajuda para 2018'', diz Joachim Löw

  •  
  •  

Atual campeã mundial, a Alemanha não levou para Rússia nenhum dos titulares da conquista de 2014

0
Foto: Foto: Reprodução

A seleção alemã estreia nesta segunda-feira na Copa das Confederações, contra a Austrália, às 12 horas (de Brasília), em Sochi, na Rússia, mas seu foco está totalmente voltado para a Copa do Mundo de 2018. Foi, em parte, o que sinalizou neste domingo o técnico Joachim Löw.

"A Copa das Confederações é um presente que nos ajuda a conquistar nossos objetivos para o próximo ano. Poderemos desenvolver os jogadores que trouxemos para este torneio. Posso testá-los em uma situação competitiva, e é compressível que implementaremos diferentes táticas ao longo da competição", antecipou Löw.

Atual campeã mundial, a Alemanha não levou para Rússia nenhum dos titulares da conquista de 2014 e todos os convocados têm menos de 30 anos. Sete, inclusive, estão pela primeira vez na seleção. "Queremos vencer, mas isto não é tudo. Podemos aceitar o que acontecer aqui se mantivermos três ou quatro jogadores para 2018", acrescentou.

Löw também destacou que os principais jogadores da seleção não devem ter medo de perder espaço, embora algumas mudanças sejam naturais. "Nossas estrelas não devem estar temerosas porque estavam jogando em altíssimo nível e são campeões mundiais", elogiou. "Mas até com os campeões mundiais deve haver momentos de mudanças. Precisamos evoluir e crescer como um time."

Sobre a partida de estreia e o adversário desta segunda, Löw fez uma avaliação cautelosa. "A Austrália é potente no ataque, e provavelmente teremos muita posse de bola amanhã, o que significa que haverá muito espaço em nosso campo para ser explorado", detalhou.

Ainda assim, o treinador garantiu que o clima é de confiança. "Estamos muito ansiosos pela estreia", garantiu. "Tive a impressão de que os jogadores estavam realmente focados em nosso último treino."

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.