Sem banho no mar

Pureza das praias da Ilha cai 36% e apenas três trechos estão liberados

  •  
  •  

O Estado constatou que a quantidade de trechos liberados para banho na Região Metropolitana de São Luís apresentou queda.

0
Foto: Divulgação

O nível de pureza das praias da orla da Grande Ilha apresentou queda de 36% em apenas uma semana. A constatação foi feita por O Estado com base nos dois últimos laudos de balneabilidade, divulgados pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) nos dias 7 e 15 deste mês. De acordo com a pasta, apenas três trechos da orla da Região Metropolitana estão liberados para banho.

No total, para a divulgação do laudo do dia 15 deste mês, foram monitorados 21 pontos distintos do litoral da Grande Ilha. Apenas dois trechos da Praia do Meio e da Praia do Araçagi podem ser usados, segundo a Sema, para os banhistas. Os demais trechos, situados nas praias da Ponta d´Areia, de São Marcos, do Calhau e do Olho d´Água estão com níveis de coliformes fecais acima do estipulado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

No laudo divulgado pela Sema no dia 7 deste mês, 11 trechos eram considerados próprios pelo Governo do Estado. Em uma semana, destes trechos, oito tiveram elevação no grau de impureza, mesmo com as ações recentes divulgados pelo próprio Governo de correção nos níveis de poluição da orla da Região Metropolitana.

Apesar dos avisos fixados em trechos da orla, muitos banhistas ainda desconsideram as informações e se arriscam em locais cujos níveis de impureza são considerados altos. Após cobrança feita por O Estado, a Sema voltou a emitir - periodicamente e conforme orientação judicial - os laudos de balneabilidade das praias de São Luís. No início do mês de abril, houve um atraso de aproximadamente uma semana na emissão do laudo. De acordo com a pasta, a demora era justificada “por problemas técnicos no endereço eletrônico onde os laudos são postados”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.