TECNOLOGIA

Profissionais começam a se mobilizar temendo ser trocados pela tecnologia

  •  
  •  

Quando a automatização gera a extinção de profissões, a classe trabalhadora se preocupa; rodoviários começam a discutir a possível substituição de cobradores

0
Profissionais começam a se mobilizar temendo ser trocados pela tecnologia
Nos ônibus da linha 102 Tropical Shopping/Camboa, não há cobrador e o motorista desempenha papel duplo (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

Em São Paulo, desde abril deste ano uma das linhas de ônibus da cidade já trafega sem a tradicional figura do cobrador, aceitando apenas o Bilhete Único como forma de pagamento. Em São Luís, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) afirmou que não existe intenção de dispensar os profissionais, deixando apenas a catraca eletrônica nos coletivos, mas o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Maranhão (Sttrema) já está atento à nova realidade nacional para evitar demissões na capital maranhense.

Segundo Isaías Castelo Branco, presidente do Sttrema, o sindicato está preocupado com a possibilidade de substituição dos cobradores pelo Sistema de Bilhetagem Eletrônica, por isso, já antecipou o debate do tema em São Luís. Ele informou ainda que, além de ser prejudicial para a classe trabalhadora, já que milhares de profissionais perderiam o emprego, a substituição vai de encontro ao debate sobre redução da jornada de trabalho. “Queremos implantar a jornada de três turnos. Com isso, mais profissionais seriam contratados e os trabalhadores teriam a jornada diária reduzida. Por isso, não vamos aceitar a demissão de profissionais”, disse.

Mas em pelo menos uma das linhas de ônibus do Sistema de Transporte Coletivo de São Luís isto já acontece. A linha 102 Tropical Shopping/Camboa, chamada popularmente de fresquinho, que vai da Praça João Lisboa, no Centro, ao bairro Jaracati, trafega sem cobrador. Os passageiros que não têm o Cartão Vale-Transporte fazem o pagamento em dinheiro para o motorista, que passa o troco.

LEIA TAMBÉM:

Automação ganha espaço no dia a dia de São Luís

Realidade nacional
A capital paulista foi uma das primeiras cidades brasileiras a começar o processo de substituição dos cobradores por sistemas informatizados no transporte coletivo. Em abril deste ano uma das linhas de ônibus da cidade começou trafegar sem o cobrador, aceitando somente o Bilhete Único como forma de pagamento. A SPTrans - responsável pela gestão do transporte coletivo no estado - justificou a mudança informando que cobradores representam 12% dos gastos das empresas e que hoje apenas 6% dos passageiros pagam a viagem com dinheiro.

No Nordeste, a cidade de Recife (PE), também já está implantando a mudança. Atualmente, mais de 13 linhas circulam na região metropolitana aceitando apenas o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM) no embarque. No ano passado, o Grande Recife Consórcio de Transporte - responsável por planejar e gerir o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife - argumentou que o objetivo da retirada dos cobradores e o pagamento exclusivo pelo VEM tinham como objetivo avaliar se a redução de circulação de dinheiro nos coletivos acarretaria a diminuição do número de assaltos.

O SET informou a O Estado que a substituição dos cobradores pelo Sistema de Bilhetagem Eletrônica nunca esteve na pauta de negociação e que nada a respeito foi cogitado pelos empresários do setor.l

NÚMERO

3 mil cobradores trabalham no Sistema de Transporte Coletivo de São Luís

SAIBA MAIS

Videomonitoramento do Trânsito

A modernização do Sistema de Transporte Coletivo de São Luís já levou à extinção de outra figura, os fiscais. Nas linhas de ônibus com poucos veículos, as que tem até quatro carros, os fiscais não ficam mais nos pontos finais como ocorria. Nessas linhas, o controle dos horários e das viagens é feito pelo Controle Operacional por Videomonitoramento do Trânsito (CCO). O CCO foi lançado pela Prefeitura de São Luís no ano passado para monitorar o sistema de transporte coletivo. A Central, instalada em uma sala especial da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), monitora e acompanha toda a movimentação dos ônibus integrados ao sistema municipal de transporte público, desde o início da viagem até o destino das linhas, com controle nas garagens e terminais de integração. O serviço faz a fiscalização via web, por meio de GPS e câmaras, permitindo a captação de imagens nos principais corredores viários da capital e em tempo real durante o trajeto.

. (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

Linhas de ônibus na palma da mão

Agora o passageiro de transporte público de São Luís pode acompanhar na palma da mão o tempo de chegada dos ônibus nos pontos da cidade. O acesso às informações é feito por meio do aplicativo de celular 'Meu Ônibus', da Prefeitura de São Luís. O aplicativo repassa dados em tempo real por meio dos GPS instalados nos cerca de 936 ônibus da capital. A ferramenta, gratuita, pode ser acessada pelo usuário que possuir celular do tipo smartphone.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.