Premiado no Guarnicê

Cinema maranhense em destaque

  •  

Filme “Traçado”, de Arturo Saboia, conta a história de um menino que sonha com outra realidade; produção levou seis prêmios no 40º Festival Guarnicê de Cinema

0
Cinema maranhense em destaque
Filme "Traçado" de Arturo Saboia foi ganhador de diversos prêmios (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - O filme “Traçado”, do cineasta maranhense Arturo Saboia conquistou seis prêmios no 40º Festival de Cinema, ocorrido em São Luís semana passada. O curta narra a história de um garotinho que, em uma região remota no Maranhão, descobre um ônibus parado no meio de um deserto, o que lhe dá a chance de sonhar uma vida para bem longe de sua realidade. O curta-metragem levou os prêmios de Melhor Filme pelo Júri Popular; Melhor Filme pela Assembleia Legislativa; Melhor Direção e Melhor Roteiro; Melhor Ator; e Melhor Fotografia.

“Traçado” tem 12 minutos de duração e o roteiro, direção e montagem são assinados por Arturo Saboia. No elenco estão os atores Jhonata Matos (de apenas 8 anos), Urias de Oliveira e Luana Lopes. A produção executiva é de Mavi Simão, Breno Nina é assistente de direção e Marcos Ponts e Elden Canedo assinam a direção de fotografia, enquanto Isabel Guerra e Nat Maciel são diretoras de produção. A direção de arte é de Cris Quaresma e a finalização de Emerson Sousa.

Arturo Saboia conta que a ideia do filme não partiu dele. “Diferentemente de outros trabalhos que costumo fazer na área de cinematográfica, onde eu mesmo procuro ver quais os assuntos mais me interessam para contar numa tela de cinema, esse partiu de um trabalho de ‘encomenda’. A produtora cultural Mavi Simão me convidou para integrar um projeto coordenado por ela chamado Cinerama, onde cada roteirista e diretor deveria escrever uma história cuja temática obrigatoriamente deveria ter todos os elementos gravitando em torno de um ônibus”, relembra o cineasta.

A partir deste desafio, Arturo Saboia relata que procurou evitar escrever uma história que fosse um ônibus transitando pelas ruas da cidade, no meio do trânsito. “Eu queria que o filme tivesse algumas pinceladas de surrealismo e estranhamento. Daí surgiu a ideia de fazer uma história de um garotinho, morador de uma área afastada, longe dos grandes centros, que se depara com um ônibus abandonado no meio do deserto e que imagina que aquele ônibus ali pode ser um elemento transformador em sua vida”, observa.

Urias de Oliveira em cena no filme (Foto: Divulgação)

Oposto

Para o cineasta, o filme aborda situações contrárias, já que o protagonista não tem maturidade suficiente para formar um ponto de vista mais coeso. “Acredito que esse ‘traçado’ que remete o título do filme, fala de um traçado não apenas no que significaria uma acepção primeira da palavra, que seria traçar linhas e riscos no chão ou qualquer outra superfície, mas também de ilustrar uma condição de vida ao qual está subordinado o garoto protagonista no filme, que imagina uma possibilidade de rompimento de uma determinada situação em que não há grandes expectativas, se deparando com um ônibus no meio do nada, numa paisagem árida, desértica, seca e dura”, comenta o diretor.

A partir disso, diz Arturo, ele vai construindo toda uma relação com o ônibus que vai se alternando entre amor e ódio ao longo do filme. O veículo, desta forma, personifica a vontade do garoto de deixar pra trás toda uma vida sem grandes possibilidades de mudança e expectativa, mas que, por outro lado, também revela muito da vida dele que é algo que não sai do lugar.

O cineasta, que tem mais de 100 premiações na carreira, relata que o projeto foi um dos mais desafiadores que já enfrentou, por uma série de razões. “Era uma filmagem contendo somente locações externas, onde você fica à mercê o tempo inteiro das mais diversas intempéries, como sol, chuva, nuvem, poeira, etc....era também uma região desértica de dificílimo acesso, onde enfrentamos inclusive dificuldades com o ônibus atolado no meio do areal e para completar, o Jhonata Matos, garoto protagonista do filme de apenas 8 anos de idade, nunca tinha tido qualquer experiência no audiovisual, nem mesmo visto uma câmera de perto na vida dele. E para nossa grande alegria, o Jhonata levou o prêmio de melhor ator no festival, depois de um árduo trabalho em conjunto”, relembra Arturo Saboia.

Para fazer com que o pequeno entrasse no personagem, o diretor contou com a ajuda do diretor assistente, o também ator maranhense Breno Nina, premiado em Gramado com o filme “O último Cine Drive-in”. Aos poucos eles foram fazendo um trabalho com o ator mirim para que ele fosse se familiarizando com o universo do cinema e, assim, incorporando o personagem. “Diferentemente de outros filmes onde eu trabalhei com atores já consagrados como a Léa Garcia e o Luiz Carlos Vasconcelos, no ‘Traçados’ eu devia partir de uma estaca praticamente zero de construção de personagem, mas o Jhonata foi crescendo muito durante esse processo”, reitera o cineasta destacando ainda as participações de Urias de Oliveira e Luana Lopes.

Luana Lopes em cena do filme (Foto: Divulgação)

Projetos

Após a participação vitoriosa no Guarnicê, Arturo Saboia, que também é publicitário, se prepara para dirigir mais dois videoclipes do cantor e compositor Bruno Batista, de quem é parceiro antigo.

No segundo semestre deve iniciar as filmagens do filme “Farol”, com o ator Antônio Saboia e a atriz global Gabriela Carneiro da Cunha. “Também já estou com um roteiro de longa-metragem em processo de captação de recursos e recentemente terminei de escrever mais outro longa, que também entrará em fase de captação. Embora esses dois roteiros tratem de assuntos diversos entre si, há também elementos correspondentes, embora numa conjuntura e atmosferas completamente diferentes”, adianta o cineasta.

Arturo Saboia é publicitário de formação e cineasta premiado. É roteirista e diretor do filme “Acalanto”, selecionado para o Festival de Cannes e ganhador de mais de 70 premiações pelo mundo, incluindo seis no Festival de Cinema de Gramado. É também diretor e roteirista de outros filmes premiados como “Borralho”, “Pelo Ouvido” (no qual é roteirista), “Passagem”, entre outros trabalhos em ficção e documentários. Também escreve e dirige comerciais publicitários, shows, videoclipes e vídeos institucionais.

Arturo Saboia exibe os prêmios (Foto: Divulgação)

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.