Na Assembleia

Deputados discutem após desdobramentos da Lava Jato

  •  
  •  

Max Barros e Zé Inácio, do Legislativo Estadual do Maranhão, entraram num embate sobre a crise política que atinge partidos políticos

0
Zé Inácio e Max Barros discutiram no Legislativo Estadual
Zé Inácio e Max Barros discutiram no Legislativo Estadual (Foto: Divulgação)

Os deputados estaduais Max Barros (PRP) e Zé Inácio (PT), travaram intenso debate na Assembleia Legislativa após os desdobramentos da Lava Jato, que atingiram a figura do presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Barros afirmou na tribuna que as graves denúncias contra Temer, deixaram insustentável a sua permanência no comando do Governo Federal. Ele criticou, contudo, o uso do episódio, por militantes petistas, em defesa dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

“É quase insustentável a permanência do presidente Temer à frente da nação. E, acima de tudo, porque quem comete irregularidades tem que ser punido. Agora, dizendo isso, não posso concordar com quem foi contra o impeachment da presidenta Dilma, porque a presidenta Dilma comandou o maior esquema de corrupção do mundo, não tem precedente no mundo o que aconteceu no Brasil sob o comando da presidenta Dilma. Então, se nós queremos passar a limpo o Brasil, nós não podemos colocar nada para debaixo do tapete. Se o Temer cometeu crime, ele tem que ser punido e tem que sair da Presidência da República. Agora nós não podemos passar a mão também na Dilma, porque ela roubou. Nós não podemos passar a mão no Lula, porque ele roubou, porque são corruptos. E se nós queremos um Brasil novo, um Brasil coerente, nós temos que passar por esse momento difícil”, enfatizou.

Foi o que incomodou Zé Inácio, representante do PT no Legislativo Estadual. Ele chegou a classificar o discurso de Max de irresponsável.

"É bem verdade que nós que estamos neste parlamento. Nós temos a imunidade parlamentar, podemos usar a palavra para muito bem nos manifestar sobre os fatos, mas nós não podemos usar desta tribuna para ser irresponsável. E o deputado Max Barros não só faz uma fala política, mas ele é irresponsável na medida em que ele diz que a presidente Dilma roubou, o presidente Lula roubou. Quando não se tem nenhuma sentença que condene nenhum dos dois", retrucou.

Zé Inácio prometeu acionar, pelo Partido dos Trabalhadores, Max Barros na Justiça.

Barros respondeu: “É uma honra ser processado pelo PT”, finalizou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.