Saúde

Curso para formação de doulas acontece em São Luís

  •  

Aulas acontecem de hoje a domingo, no Hotel Biarritiz; dedicadas a acompanhar a mulher durante a gestação, as profissionais dão suporte físico e emocional

0
Curso  é voltado a enfermeiras e outras profissionais da saúde
Curso é voltado a enfermeiras e outras profissionais da saúde (Foto: Divulgação)

No Brasil, a taxa de cesarianas na rede privada de saúde é de quase 90%, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. É a maior taxa do mundo, enquanto a recomendação da OMS é uma taxa de 15%. Acima ou abaixo disso, mães e bebês correm riscos enormes.

Entretanto, o cenário obstétrico do Brasil é marcado por uma dicotomia: altas taxas de cesariana na rede privada x uma enorme quantidade de partos normais violentos na rede pública. No intuito de resolver essa questão é que surge, na década de 1980, o parto humanizado.

A humanização do parto não significa, contudo, uma nova técnica, mas, sim, o respeito à fisiologia do parto e à mulher. É a mulher que deve escolher onde ter o bebê, qual acompanhante quer ao seu lado na hora do trabalho de parto, liberdade de movimentação antes do parto e em que posição é melhor na hora do nascimento, o direito de ser bem atendida e de amamentar na primeira meia hora de vida do bebê.

É nesse contexto que estão as doulas - nome dado à profissional, da área médica ou não -, agentes de humanização responsáveis pelo acompanhamento das mães durante a gestação, o parto e o pós-parto. No trabalho de parto, as doulas auxiliam a mulher com apoio emocional, físico e informativo, e utilizam métodos não farmacológicos para alívio da dor, como técnicas de respiração e distração, acupressão, acupuntura, massagem, cromoterapia, aromaterapia e uso da água quente.

“A doula não faz toque, não vê sinais vitais, não faz nenhum trabalho técnico no parto. Ela se soma à equipe técnica - médicos e enfermeiros obstetras - para oferecer suporte e amparo durante o trabalho de parto”, explica a doula maranhense e musicoterapeuta, Lis Fonseca.

Destaque
O assunto e a importância dessas profissionais têm ganhado tanto destaque que já existem instituições brasileiras fundadas com o objetivo de formar e capacitar doulas e atualizar profissionais da área de saúde quanto ao atendimento humanizado. É o caso da Unimaterna, uma instituição criada por mulheres e mães no Paraná, que oferece cursos e consultorias na área materno-infantil.

A empresa paranaense, da qual participam algumas maranhenses, vai oferecer de hoje, 19, a domingo, 21, um curso de formação de doulas na capital, voltado a enfermeiras, psicólogas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, técnicos de enfermagem e quaisquer outras pessoas que tenham interesse em trabalhar com gestantes.

“As doulas são profissionais recomendadas pela OMS por tornarem a experiência do parto mais positiva, com menos usos de intervenções e desfechos mais favoráveis. O curso é dividido em módulos que compreendem o pré-parto, parto e a amamentação, com uma equipe multidisciplinar de professores formada por médicos, enfermeiras, psicólogas, nutricionistas, dentre outros profissionais”, explica uma das organizadoras do curso, a administradora e doula, Lair Arraes Silva.

O curso está com inscrições abertas pelo site da Unimaterna (unimaterna.com.br) e acontecerá no Hotel Biarritiz (Ponta d’Areia). O curso é livre e não é necessário ter formação na área médica.

Serviço

O quê: Curso de formação de Doulas

Quando: De hoje,19, a domingo, 21

Onde: Hotel Biarritz (Ponta d’Areia)

Informações e inscrições: site unimaterna.com.br

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.