Sem infraestrutura

Estudantes de Medicina da UFMA, campus Pinheiro, protestam contra precariedade do curso

  •  
  •  

Na manhã desta quinta-feira (27), os alunos vieram para o campus do Bacanga cobrar soluções da reitoria; Protesto deixou trânsito engarrafado

0
Estudantes de Medicina da UFMA, campus Pinheiro, protestam contra precariedade do curso

SÃO LUÍS – Um grupo de estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Maranhão, do campus de Pinheiro, realizou no início da manhã desta quinta-feira (27), um protesto em frente ao campus do Bacanga, em São Luís.

Manifestantes cobram soluções da reitoria. (Foto: Adriano Soares/O Estado)

Os estudantes cobram, da reitoria da universidade, melhorias na infraestrutura do prédio do curso em Pinheiro que, segundo eles, está inacabado. Além disso, os acadêmicos pedem professores e livros para os estudos. “Pinheiro também é UFMA e nós queremos aulas. No nosso campus não tem professor, pois, quando há concurso, nenhum professor da área médica quer vir para a cidade, porque o piso salarial é muito baixo, um pouco mais de R$ 2 mil”, relata um dos estudantes.

Essa não é a primeira vez que os estudantes reclamam das más condições do curso.

Relembre: Futuros médicos de Pinheiro pedem socorro

Outro motivo de reclamação dos acadêmicos de Medicina de Pinheiro foi uma mudança no projeto pedagógico do curso, que, segundo os estudantes, a UFMA simplesmente aceitou sem fazer nenhuma objeção. Com isso, vários alunos terão que repetir o período.

Alunos de Pinheiro vieram para São Luís. (Foto: Adriano Soares/O Estado)

Os acadêmicos, utilizando cartazes com as reivindicações, interditaram a entrada do campus do Bacanga por várias horas, depois, seguiram para ao prédio da reitoria da universidade. Segundo os estudantes, eles só vão sair do local quando forem ouvidos e tiveram seus pedidos atendidos pela administração da UFMA. “Vamos ficar aqui quantos dias forem necessários”, afirmam os manifestantes.

Por causa do protesto, o trânsito ficou completamente congestionado do Terminal de Integração da Praia Grande até a UFMA.

Região ficou congestionada. (Foto: Adriano Soares/O Estado)

Em alguns trechos da via, motoristas chegaram a subir no canteiro central para fugir do engarrafamento.

Alguns motoristas tentaram se livrar do engarrafamento. (Foto: Adriano Soares/O Estado)

Em nota, a assessoria de comunicação da UFMA informou que a reitora, Nair Portela, está em Brasília para tratar, junto ao MEC, a expansão do curso de medicina.

"A Universidade Federal do Maranhão informa que a reitora Nair Portela está em Brasília para tratar com o MEC sobre a expansão do curso de Medicina implantado pelo Governo Federal, e que a administração da universidade tem se reunido continuamente com estudantes, professores e servidores para equacionar os problemas. Uma comissão de estudantes foi recebida nesta manhã por gestores da UFMA para atender às demandas emergenciais do curso de Medicina de Pinheiro", diz a nota.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.