Município já sabia

Prefeitura foi notificada sobre estado crítico de sistema de bilhetagem

  •  
  •  

Documentos obtidos com exclusividade por O Estado mostram que a Dataprom, empresa paranaense que gerencia o sistema, notificou o Município seis vezes nos últimos seis meses sobre a situação

0
Prefeitura foi notificada sobre estado crítico de sistema de bilhetagem
Por causa da pane no sistema, ocorrida nos útimos dias, formaram-se filas para fazer a recarga nos cartões de transporte durante todo o dia de ontem (Foto: De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Documentos obtidos com exclusividade por O Estado mostram que a Prefeitura de São Luís estava ciente, desde outubro do ano passado, sobre os problemas do Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) – que registrou mais uma pane na quinta-feira, 13. De acordo com o departamento jurídico da Dataprom, empresa paranaense responsável pelo gerenciamento lógico do SBA, pelo menos seis ofícios foram encaminhados nos últimos seis meses, em que foram feitos alertas para o Município sobre o “estado crítico” do sistema e a possibilidade de perda de dados permanentes dos usuários do transporte coletivo.

O primeiro ofício foi encaminhado pela Dataprom no dia 24 de outubro do ano passado e recebido pela Prefeitura – por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) no dia 25 do mesmo mês, às 13h38 (horário local). No documento, a Dataprom informa sobre um problema técnico em um dos HDs (discos rígidos) responsáveis pelo funcionamento do SBA e sobre a “necessidade de troca imediata”.

Um mês depois, no dia 29 de novembro do ano passado, a Dataprom alertou novamente a Prefeitura sobre a “necessidade de substituição do HD”. Segundo a empresa, o dispositivo eletrônico “encontrava-se na central do SBA”, sob os cuidados da SMTT. No documento, a Dataprom informou, pela primeira vez, que a ausência de providências pelo poder público municipal poderia acarretar “desde perda de informações de vendas e/ou passageiros transportados” até a parada total do sistema.

No dia 12 de janeiro deste ano, a Prefeitura foi acionada pela Dataprom, que, na ocasião, alertou o Município sobre o agravamento do quadro do SBA. Na ocasião, de acordo com a empresa paranaense, era necessária – além da troca do HD – a substituição do drive interno, também item fundamental para a manutenção do sistema. O alerta, em forma de ofício, foi recebido pela SMTT no dia 12 do mesmo mês, às 13h53.

No dia 17 de março deste ano, a Dataprom informou que, no dia 18 de fevereiro deste ano, todos os servidores do SBA foram desligados devido à alta temperatura na central de manutenção, agravada por falha no equipamento de ar-condicionado mantido pela Prefeitura. Outra queda de energia aconteceu, ainda de acordo com a Dataprom, nos dias 15 e 16 de março deste ano. Na ocasião, “por sorte”, foi possível solucionar o problema com uma troca de HD danificado, pois a empresa já havia se antecipado a possíveis problemas e deixado um disco rígido com a Prefeitura.

Nos dias 23 de março e 18 de abril deste ano, outros dois documentos foram encaminhados à Prefeitura pela Dataprom. Além de alertar para o “estado crítico” do SBA, a empresa listou uma série de soluções que deverão ser executadas pela Prefeitura, entre elas a “implantação de um sistema de manutenção preventiva de ar-condicionado” e manutenção do gerador de energia.

Nota
Em nota encaminhada a O Estado, a Dataprom informou que, apesar de ter sido alertada, a Prefeitura – apontada como a responsável pelo SBA – “não realizou os reparos necessários”.

A Dataprom descartou a hipótese de que a queda do sistema tenha relação com “possível falta de pagamento por parte da Prefeitura”.

Por fim, a Dataprom confirmou que a “queda do sistema se deve exclusivamente por problemas técnicos ocorridos nos equipamentos da própria Prefeitura”.

Plantão
Nas redes sociais, o secretário municipal de Governo da Prefeitura, Lula Fylho, informou, apesar dos pareceres técnicos da Dataprom, que o “sistema de bilhetagem eletrônica estava com problema técnico”, mas que tudo “já havia sido resolvido”. Ainda de acordo com o gestor, o Município fará plantão hoje, das 7h às 20h, nos locais de recarga dos cartões de transporte (terminais de integração da Praia Grande, Cohab, São Cristóvão, Cohama e Distrito Industrial, além de postos na UFMA, Uema, Apicum, Maiobão e São José de Ribamar).

Muitas pessoas buscaram os terminais para recarregar cartões de transporte (Foto: De Jesus / O ESTADO)

Indagada sobre o parecer técnico da Dataprom e os problemas relatados do SBA, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), informa que adquiriu peças e equipamentos eletrônicos novos e realiza a atualização periódica do sistema. A pasta ressaltou que, além das medidas citadas, possui contrato com empresa especializada para a manutenção dos equipamentos, garantindo assim o pleno funcionamento do sistema ao usuário de transporte coletivo de São Luís.

Relembre
Os problemas no sistema de bilhetagem começaram na quinta-feira, 13. No entanto, por causa do feriado da Semana Santa, usuários começaram a sentir os efeitos do problema apenas na segunda-feira, 17.

Por causa da interrupção no serviço, a Prefeitura anunciou a volta da comercialização dos passes escolares. A medida causou insatisfação nos usuários, que reclamaram do “retrocesso” da medida e da limitação imposta pelo Município, já que era possível adquirir apenas dez passes por pessoa.

Em nota, a Prefeitura de São Luís já informou que os passes poderão ser aproveitados normalmente até o dia 30 deste mês.

Serviço é retomado, mas com problemas

Após quase uma semana de pane, o serviço de recarga dos cartões de transporte da capital maranhense foi retomado com problemas. O Estado apurou que, no Terminal da Praia Grande, o sistema somente esteve disponível às 7h20, 20 minutos após o horário previsto pelo Município.

Além da instabilidade do sistema, em alguns locais houve gran­des filas formadas por usuários que desejavam recarregar seus cartões. O vigilante Batista Sá, por exemplo, permaneceu sem crédito no cartão de transporte por uma semana. “Tive que pagar quase R$ 30,00 de passagem para a minha filha, que usa meu cartão, poder ir até a sua escola”, disse.

Já a dona de casa Joana Soares esteve na Praia Grande para recarregar o cartão, que também estava inativo. “É um absurdo, uma vergonha o que o poder público faz”, afirmou. Para garantir a normalização dos serviços, fiscais do Procon estiveram na tarde de on­tem em locais de recarga da cidade.

SAIBA MAIS

Locais de recarga dos cartões de transporte

Terminais de integração da Praia Grande, Cohab, São Cristóvão, Cohama e Distrito Industrial – horário de atendimento das 7h às 20h.

Postos na UFMA, Uema, Apicum, Maiobão e São José de Ribamar - horário de atendimento das 8h às 20h.

Fonte: Prefeitura de São Luís

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.