Título polêmico

Maranhense que apitou final do Brasileiro de 87 fala de polêmica

  •  

Josenil Sousa foi o responsável por apitar a final entre Sport e Guarani, que terminou empatada após disputa de 11 pênaltis; Flamengo reivindica a taça

0
Josenil Sousa diz que esse foi o jogo mais importante da sua vida
Josenil Sousa diz que esse foi o jogo mais importante da sua vida (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Na última terça-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) desconsiderou, por 3 votos a 1, o recurso apresentado pelo Flamengo contestando a decisão de que o Sport seria o único campeão brasileiro de 1987. O departamento jurídico do clube carioca prometeu analisar a decisão, mas a assessoria do STF informou que os recursos possíveis não modificariam a decisão. Fora dos tribunais, o arbitro da segunda partida da final do módulo amarelo (vencido pelo Sport) do Campeonato Brasileiro 1987, Josenil Sousa, 74 anos, que é maranhense e mora em São Luís, disse que o STJ fez justiça ao manter o Leão como único campeão nacional daquele ano.

Para o ex-arbitro, que é torcedor do Flamengo, o Sport merece o título de único campeão brasileiro. “Sou flamenguista, mas o campeão brasileiro de 1987 é o Sport, porque o Flamengo se recusou a jogar o quadrangular final como tinha prometido. Seria uma injustiça, pois no modulo verde ficaram apenas os clubes de “elite” e excluíram os do nordeste e do interior de São Paulo. Além disso, o Sport fez um excelente campeonato e foi o time que mais pontuou no módulo amarelo”, disse.

Josenil Sousa, que foi aspirante da FIFA e trabalhou como árbitro por 30 anos, ainda recorda com detalhes a partida de volta da final do módulo amarelo entre Sport x Guarani, realizada no dia 13 de dezembro de 1987, na Ilha Retiro, em Recife, com público de 16.674 pagante. No primeiro jogo havia sido 2 x 0 para o Guarani. No segundo, 3 x 0 para o Sport. Após terminar a prorrogação, sem gols, a decisão foi para os pênaltis. Quando a disputa estava em 11 x 11, entraram num consenso determinando o fim da disputa e a divisão do título do Módulo Amarelo.

“Foi o jogo mais importante em que trabalhei. Não foi fácil. Na primeira sequência de penalidades, cada um dos times perdeu um. Já nas cobranças alternadas, ninguém perdeu pênalti e quando já havia sido cobra 12 pênaltis para cada lado os capitães, do Sport, Betão, e o do Guarani, Ricardo Rocha, me procuraram e disseram que não iriam mais cobrar pênaltis e que iriam dividir o título. O estádio estava completamente lotado e o responsável pela segurança me aconselhou acabar o jogo, porque já tinham pessoas invadindo o campo”, recordou Josenil Sousa.

Alivio do árbitro

Para não contrariar o regulamento, sob risco de punição por parte da CBF, o Guarani se dispôs a abdicar do título do Módulo Amarelo, para alívio de Joneil Sousa. “Eu precisava enviar a súmula do jogo para a CBF indicar os representantes brasileiros para a Libertadores e tinha que ter campeão e vice, por determinação do regulamento. A diretoria do Guarani em um gesto de grandeza reconheceu que Sport foi melhor durante toda a competição e deu título do modulo amarelo ao rubro-negro pernambucano”, recordou.

Todo o trio de arbitro da partida foi formado por maranhenses. Além de Josenil Sousa, trabalharam no jogo como assistentes: Naco Arouche e Verandi Fontes.

A diretoria do Sport não se conteve só com a decisão da arbitragem e recorreu à Justiça. E Segundo decisão de primeira instância da 10ª Vara Federal da Seção Judiciária de Pernambuco, a CBF, de posse do regulamento e critérios de desempate, declarou o Leão campeão com base na sua melhor campanha.

Desta maneira, a CBF, que já havia inscrito Sport e Guarani como representantes brasileiros na Libertadores, avaliou que Flamengo e Internacional perderam por W.O. seus compromissos nesta fase. Com isso, a decisão da Brasileirão foi uma repetição da final do módulo amarelo, no qual o primeiro jogo terminou empatado por 1 x 1, no Brinco de Ouro, em Campinas (SP), e o segundo com a vitória dos pernambucanos por 1 x 0, na Ilha do Retiro, em Recife (PE). E o Sport foi declarado o único campeão brasileiro de 1987.

Mais – Saiba mais sobre a polêmica

A confusão ocorreu, porque, em 1987, a CBF desistiu de organizar o Campeonato Brasileiro e o Clube dos 13, que reunia as principais agremiações do país, foi criado. Então, o torneio que tinha 16 equipes foi feito pelos clubes e chamado de Copa União. Depois, a CBF voltou atrás e propôs que mais times fossem incluídos e a copa passou a ser dividida em dois módulos, que seriam espécies de divisões. Com a Copa União já em andamento, uma nova regra foi proposta. O campeão e o vice de cada módulo deveriam se enfrentar em um quadrangular final, mas, antes da disputa se concretizar, o Clube dos 13 anunciou que não reconhecia este cruzamento. O Flamengo, campeão do módulo verde e o Internacional, vice, decidiram não jogar contra Sport e Guarani, campeão e vice do módulo amarelo. Com isso, o Leão e o Alviverde de Campinas jogaram a final e foram declarados os campeões brasileiros daquele ano.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.