Estado Maior

R$ 3 bilhões depois...

  •  

0
R$ 3 bilhões depois...

Basta fazer uma conta. Quando assumiu o governo maranhense, em 2015, o comunista Flávio Dino recebeu em caixa cerca de R$ 2 bilhões, frutos de uma operação de crédito contraída ainda no governo Roseana Sarney (PMDB) com o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dinheiro disponível para ser usado em obras, serviços e projetos do governo em todo o estado.
2015 passou sem que Dino tenha usado sequer 10% desses recursos, que continuaram a engordar o caixa do governo. Mesmo assim, ele segurou os aumentos necessários e devidos a todo o funcionalismo e fez paliativos em serviços públicos.
Em 2016, ainda sem gastar aqueles primeiros R$ 2 bilhões do caixa, Dino contraiu outros três empréstimos, arrecadando mais cerca de R$ 700 milhões no mercado. E recebeu de graça, sem custos, outros R$ 700 milhões da repatriação bancada pelo Governo Federal e repartida com os estados.
A declaração de que precisava aumentar impostos para enfrentar a crise financeira é, no mínimo, uma falácia do governador comunista, que soa até como desrespeito à inteligência maranhense.
Mesmo assim, Dino decidiu aumentar o ICMS de energia elétrica, combustíveis, telefonia, bebidas e cigarros, em que planeja arrancar do maranhense mais R$ 900 milhões em 2017, arrecadação que começou na última quarta-feira. E outros tantos milhões ele pretende arrecadar com aumento de ICMS da construção civil. O fato é que, mais de R$ 3 bilhões depois, Flávio Dino continua metendo a mão no bolso do maranhense para forrar os cofres do estado.

Nem aí!
O desdém com que o governador Flávio Dino (PCdoB) tratou os que reclamam do aumento de ICMS revelou certo desprezo do comunista com a população.
Para ele, “será mínimo” o impacto na economia maranhense com aumento de energia, combustíveis, telefonia, TV por assinatura, bebida cigarros.
E ainda disse que o reajuste é fruto da crise econômica nacional, uma necessidade para o Maranhão enfrentar o momento difícil.

Nem vendo!
Durante encontro com os vereadores na Câmara Municipal de São Luís, o governador Flávio Dino saiu-se com essa, para minimizar os questionamentos da oposição sobre o aumento do ICMS: “O papel da oposição é reclamar”.
Diante da declaração, o deputado Adriano Sarney (PV) comentou:
- São deveres da oposição fiscalizar e cobrar o governo. Quem reclama de ter uma oposição não sabe conviver em estado democrático.

Luz para Todos
O ministro Sarney Filho (PV) anunciou que o Maranhão será beneficiado com novos recursos do Programa Luz para Todos, durante entrevista ao programa Ponto Final, apresentado pelo radialista Roberto Fernandes, na Rádio Mirante AM.
De acordo com o que informou o ministro, o presidente Michel Temer informou a Sarney Filho, nesta segunda-feira que o Estado receberá R$ 225 milhões para o desdobramento do Programa Luz para Todos.
Sarney Filho revelou que com os recursos serão atendidas 19 mil famílias que já estavam inscritas nos municípios aguardando pela chegada de energia elétrica.

Expectativa
O presidente do Sindicato das Empresas de Construção Civil (Sinduscon), Fábio Nahuz, é a presença mais aguardada na audiência sobre o aumento do ICMS, hoje na Assembleia.
Nahuz foi autor de uma Nota de Repúdio, ainda em dezembro, criticando o aumento de ICMS da construção, proposto pelo governo Flávio Dino.
Desde então, no entanto, o empresário tem evitado falar do assunto - e até retirou a nota do site do sindicato - o que tem gerado desconfianças do setor.

Reação
A reunião do governador Flávio Dino com os vereadores de São Luís, ontem, foi uma espécie de resposta à movimentação do senador Roberto Rocha (PSB).
Rocha reuniu mais de 100 prefeitos, deputados, vereadores e lideranças políticas, semana passada, na Assembleia, em evento com forte teor político.
Dino tentou dar o troco levando prefeitos da Grande São Luís, deputados federais e estaduais para o encontro organizado pelo presidente da Câmara, Astro de Ogum (PMN).

Nacionalizado
Edivaldo Júnior ganhou do partido um prêmio pela sua participação na legenda.
Ele agora é membro da Executiva nacional, ao lado do próprio Ciro Gomes e do presidente nacional Carlos Lupi.
O encontro nacional do PDT ocorreu no sábado; também participaram os deputados maranhenses Rafael leitoa, Glalbert Cutrim e o vereador Raimundo Penha.

Senador
O deputado federal Waldir Maranhão (PP) mandou um recado direto ao governador Flávio Dino no fim de semana.
Ele apareceu nos grandes telejornais, jornais de circulação nacional e blogs, ao lado de ninguém menos que os ex-presidentes Lula e Dilma (ambos do PT).
Maranhão tem cercado Dino para forçá-lo a reafirmar publicamente o acordo que garantiria ao parlamentar sua candidatura ao Senado em 2018.

E MAIS

• Os aliados do governador Flávio Dino não conseguem justificar a necessidade de aumentar o ICMS do setor da construção civil.

• O clima ainda é de insatisfação na bancada governista na Assembleia, desde que Flávio Dino resolveu nomear generais e soldados rasos em sua defesa na Casa.

• Dino terá dificuldades para resolver o problema entre José Reinaldo, Weverton Rocha e Waldir Maranhão pelas duas vagas de candidato ao Senado em sua chapa.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

Saiba mais de Estado Maior