Estado precário

Parada de ônibus é motivo de reclamação de usuários

  •  
  •  

Abrigo, que fica no centro de São Luís, está totalmente danificado e, em dia de chuva, infiltrações incomodam bastante quem precisa ficar no local

0
Parada de ônibus é motivo de reclamação de usuários
Teto do abrigo encontra-se bastante desgastado e tem infiltrações (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - A Prefeitura de São Luís vem fazendo, em suas redes sociais, um trabalho de conscientização para a população preservar as paradas de ônibus da cidade. No entanto, algumas não precisam ser preservadas, mas trocadas. Este é o caso do abrigo que fica na Praça da Bíblia, na Avenida Kennedy. A estrutura está completamente destruída, pela ação do tempo, e também pelo vandalismo. Em dias de chuva, é quase impossível ficar no local.

Os usuários do transporte coletivo que precisam usar o abriga passam por muitas dificuldades. A estrutura está bastante danificada. Pedaços das vigas estão expostos. Algumas partes estão completamente destruídas. Na parte de trás, com a ação do tempo, foi criada uma grande crosta de lodo.

Estrutura sofre também com ação do tempo (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

“Essa para estar assim há muito tempo. Quando chove é horrível. Eu, sinceramente, tenho até medo de cair”, comentou a aposentada Maria de Fátima Abreu.E, quando a usuária fala em medo de desabamento, ela não exagera. Quando chove, várias infiltrações podem ser vistas na cobertura do abrigo.

Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT) informou que já implantou vários abrigos nos principais corredores da capital, e que realizou um levantamento para indicar as paradas de ônibus, nas quais os abrigos necessitam de manutenção, implantação ou substituição. A SMTT informou ainda que o abrigo da parada de ônibus da Praça da Bíblia, está inserido no levantamento e que será implantada conforme cronograma de execução.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.