Festejo

Novenário de São José é encerrado com a participação de fiéis

  •  

Último dia do evento religioso reuniu milhares de pessoas no Santuário de São José de Ribamar; eventos relacionados ao santo padroeiro já são realizados há mais de 200 anos

0
Encerramento do Novenário de São José de Ribamar reuniu milhares de fiéis
Encerramento do Novenário de São José de Ribamar reuniu milhares de fiéis (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR - Milhares de fiéis lotaram ontem, durante todo o dia, o Santuário de São José de Ribamar para o último dia do novenário do santo, que vem sendo realizado desde o dia 10 na cidade balneária, a 32 quilômetros de São Luís. A festa já é tradicional no estado, segundo o padre Cláudio Roberto, reitor do Santuário, existem registros de quase 200 anos atrás sobre a realização de procissões e novenas em honra ao padroeiro do Maranhão.

Durante os dez dias do evento foram realizadas missas, procissões, novenas, louvor e shows católicos. Este ano, o tema do novenário foi “São José, guardião da vida e da criação”, inspirado na Campanha da Fraternidade 2017. “O tema nos estimula a refletir sobre a importância da proteção de nosso planeta. É também oportunidade para nos inspirar e pedir a São José de Ribamar, que soube cuidar com carinho e dedicação da família de Nazaré e de nossa Igreja, que nos ajude a ter esse mesmo cuidado com nossos biomas, dons de Deus para todos nós”, explica o padre Cláudio Roberto.

Ontem, foram realizadas diversas missas, batizados, louvores e a procissão de encerramento que saiu do Santuário e percorreu ruas do município, encerrando com a Santa Missa na concha acústica. “O grande desafio é a evangelização, as pessoas têm sede de Deus. E José mostra como nos achegamos a Jesus e que devemos fazer como ele fez”, ressaltou o padre Cláudio.

Fiéis

Dentre as milhares de pessoas que compareceram à cidade de São José de Ribamar para o novenário do Santo, Jaqueline de Jesus Soares foi uma das que levou uma vela, na sua altura, para agradecer ao santo por uma bênção recebido. Segundo contou, em 16 de fevereiro a moto de seu marido foi roubada. Essa já seria a terceira que ele perdia para os ladrões, e o pior, apenas sete parcelas do financiamento haviam sido pagas.

Jaqueline então se apegou à São José, pois aqui na terra ninguém ainda tinha dado jeito nesse problema. Foi quando no dia seguinte ao roubo a moto foi localizada, justamente na cidade de São José de Ribamar. Para ela isso foi um sinal de que o patrono maranhense atendeu o seu pedido, e nada mais justo do que ir até o Santuário para homenageá-lo e pagar a promessa feita. “Meu marido não acredita muito, mas tenho certeza de que foi São José quem fez esse milagre. Tudo o que faço é com fé nele”, conta a mulher.

Tem também aqueles que aproveitam o momento para conseguir o sustento, seu e da família. José Jorge Cabral da Silva, tem nome de dois santos, e trabalha desde os anos de 1990 vendendo as famosas fitinhas de santo à sombra da igreja. Cada uma custa apenas R$ 0,50 e somente ontem, até às 11h da manhã ele já tinha vendido 135 unidades da lembrança., que ele faz questão de explicar a simbologia de cada uma das cores presentes nos objetos: branco é humildade, o preto é o desconhecido, vermelho é a luta, lilás é esperança, azul compromisso, e por aí vai. “Tem gente que vende e tem gente que compra, mas que não sabe o que significa cada uma das fitas, mas é importante conhecer a história por trás delas”, conta.

Outra que vai à cidade atrás de sustento financeiro é dona Maria José Queirós Chagas. Aos 66 anos, todos os domingos, e não apenas nos dias de festa, ela pega suas fitinhas, uma mensagem impressa e sai distribuindo aos fiéis que se espalham pela praça, em frente à igreja. De retorno, ela pede que a pessoa ajude com aquilo que Deus colocar em seu coração. Com os 10 filhos já criados, ela vai atrás dessa ajuda para também criar alguns netos, e até bisnetos, que ainda moram com ela. “Agradeço e Deus e São José porque ainda posso pegar esse sol e vir aqui todos os domingos”, afirma.

Saiba mais

O SANTO

São José ou José de Nazaré ou José, o Carpinteiro foi, segundo o Novo Testamento, o esposo da Virgem Maria e o pai adotivo de Jesus. Descendente de David, ELE é venerado como Santo pela Igreja Ortodoxa, Igreja Anglicana, e Igreja Católica, que o celebra como seu padroeiro universal no dia 19 de março. É considerado "Padroeiro dos Trabalhadores", "Padroeiro das Famílias", e também Padroeiro do Maranhão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.