Organização criminosa

Bando especializado em roubo de carro é investigado pela polícia

  •  
  •  

Fábio Aurélio, o Buchecha, um dos evolvidos na morte do jornalista Décio Sá comandava o grupo

0
Fábio Aurélio, o Buchecha, e um dos carros apreendidos pela polícia
Fábio Aurélio, o Buchecha, e um dos carros apreendidos pela polícia (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - A equipe da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) até início da tarde de ontem estava realizando incursões na Região Metropolitana de São Luís para prender mais integrantes de uma organização criminosa interestadual especializada em comercializar veículos de luxo roubados. De acordo com as informações da polícia, o bando é comandado na capital por Jonathas Aurélio Ribeiro de Sousa, o Jhony Boy, e Fábio Aurélio do Lago e Silva, o Buchecha, que é um dos envolvidos da morte do blogueiro, jornalista e repórter de O Estado, Décio Sá. O assassinato do jornalista ocorreu em um bar da Avenida Litorânea no dia 23 de abril de 2012.

A investigação desse caso está sendo coordenada pelo delegado Fernando Guedes, da DRFV. Ele informou que uma parte da quadrilha já foi identificada e ainda esta semana novos integrantes da organização podem ser presos. “Ainda estamos na primeira fase do inquérito policial e várias pessoas serão ouvidas na delegacia”, disse Fernando Guedes.

Já o delegado Jeffrey Furtado, titular da DRFV, disse que a equipe da delegacia tem sempre uma atenção especial aos carros que circulam na cidade, principalmente aqueles com placas de outros estados e acabou descobrindo a ação criminosa do bando na venda de veículo de luxo roubado e clonado. Esses veículos são comercializados por menos da metade do seu valor real no mercado.

Segundo o delegado, os policiais da DRFV apreenderam há 20 dias, um Corola branco com placa clonada, na Cidade Operária, e que tinha sido roubado no Piauí. O proprietário do veículo, nome não revelado, foi conduzido a delegacia e declarou que tinha comprado de Jhony Boy e Buchecha.

Após esse fato, a polícia começou a monitorar Jhony Boy e Buchecha. Na quarta-feira, 15, os policiais apreenderam uma Hilux SW4 branca, com placas clonadas, no bairro do Cohajap. Ainda de acordo com as informações do delegado, o chassi do carro estava adulterado e tinha sido roubado na cidade de Caucaia, no estado do Ceará, no dia 17 de abril do ano passado. O proprietário desse veículo, ao ser abordado, disse que teria adquirido de Jhony Boy e Buchecha.

A equipe da DRFV após essa abordagem se deslocou até a residência de Jhony Boy, na Ponta d’Areia, onde conseguiu prendê-lo, e encontrou em sua casa, o colete balístico da polícia. Em seguida, os policiais prenderam Buchecha, na Chácara Brasil, área do Turu.

Os detidos foram conduzidos até a sede da DRFV e ouvidos pelo delegado Fernando Guedes. Ainda no período da madrugada de ontem, Buchecha foi solto após efetuar o pagamento de uma fiança no valor de R$ 4 mil, enquanto o seu cúmplice, até a tarde de ontem continuava preso.

Jeffrey Furtado declarou que as investigações devem continuar, pois há informações de outros envolvidos, que devem responder pelos crimes de receptação, associação criminosa, adulteração de veículo e falsificação de documento.

Esquema criminoso

O delegado Jeffrey Furtado informou que esses quadrilheiros agem em todo o país, pois geralmente os veículos são roubados em um estado e vendidos em outros. Os carros, antes de serem vendidos, são “esquentados”, ou seja, recebem placas clonadas e o chassi é adulterado.

Ainda segundo o delegado, as placas clonadas geralmente são de veículos em circulação em outros estados. Já o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) são adquirido pelos criminosos por meio de desvio ou roubo.

Sabia mais

Morte do jornalista Décio Sá

Décio Sá foi assassinado com cinco tiros quando estava em um bar na Avenida Litorânea. Ele falava ao celular quando foi surpreendido pelo pistoleiro e alvejado com três tiros. Ainda segundo a polícia, uma das motivações do crime seria uma publicação, no "Blog do Décio", sobre o assassinato do empresário Fábio Brasil em Teresina, no Piauí, que estaria envolvido em uma trama de pistolagem com os integrantes da organização criminosa comandada por José Miranda e Gláucio Alencar. Fábio Aurélio do Lago e Silva, o Buchecha, foi denunciado como um dos mandantes do crime, esteve preso, mas ganhou liberdade algum tempo depois por decisão fa Justiça.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.