Ilhas Canárias

Espanha resgata 59 imigrantes, mas 9 seguem desaparecidos

  •  

Entre os resgatados havia 47 homens, 11 mulheres e um bebê

0
Na quarta-feira, 15, outro barco que se dirigia para a cidade espanhola de Cádiz foi interceptado por uma patrulha marroquina.
Na quarta-feira, 15, outro barco que se dirigia para a cidade espanhola de Cádiz foi interceptado por uma patrulha marroquina. (Foto: Divulgação)

ESPANHA - A guarda costeira espanhola resgatou ontem 59 migrantes que estavam à deriva perto do arquipélago das Ilhas Canárias, um dia após o desaparecimento de nove outras pessoas que tentavam chegar por mar ao sul do país.

Quarenta e sete homens, 11 mulheres e um bebê estavam a bordo da embarcação socorrida ontem de manhã pelo serviço de resgate marítimo, a cerca de 300 quilômetros ao sul da ilha de Gran Canaria, informou uma porta-voz à AFP.

Os migrantes, que haviam partido da costa do Saara Ocidental, foram levados para o porto de Arguineguin nesta ilha.

Na quarta-feira, 15, outro barco que se dirigia para a cidade espanhola de Cádiz foi interceptado por uma patrulha marroquina.

Os espanhóis ofereceram ajuda, mas não receberam resposta dos marroquinos, que, em seguida, anunciaram que duas pessoas haviam sido resgatadas, mas outras nove pessoas estavam desaparecidas, segundo a porta-voz do serviço de resgate marítimo.

Os imigrantes estavam perto da costa marroquina e tentavam atravessar o Estreito de Gibraltar em condições meteorológicas muito adversas, de acordo com a fonte.

A Espanha é um ponto de trânsito para muitos migrantes, tanto por mar quanto por terra, através de seus dois enclaves espanhóis no Norte de África, Ceuta e Melilla.

Segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), mais de 13 mil imigrantes chegaram à Espanha em 2016, mais de 8.100 por mar.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.